«A seleção brasileira seria a cereja do bolo na carreira de Jorge Jesus»

12 dez 2021, 11:14

Jonas quer ver o treinador português a participar no Mundial de 2026

A seleção brasileira nunca teve um treinador estrangeiro, mas, se dependesse exclusivamente de Jonas, Jorge Jesus seria o primeiro. O antigo goleador do Benfica é a favor da chegada do português, depois do Mundial de 2022, no Catar, quando Tite vai deixar o cargo.

«Fosse eu o presidente da CBF [Confederação Brasileira de Futebol], contrataria [risos]. Queria muito ver o Jorge Jesus na seleção brasileira. Tomara que esse meu sonho se torne realidade. Meu e de muitos outros. Ele conhece muito o futebol brasileiro, sempre falou muito do futebol daqui, até mesmo da segunda divisão. Assistia todos os jogos praticamente. Gostaria de vê-lo na seleção no próximo Mundial em 2026. Quem sabe ele seja campeão, assim terminaria a carreira com chave de ouro. Seria a cereja do bolo», revelou o brasileiro, em entrevista à CNN Portugal.

«Ele gosta do dia a dia. Até pelo momento da carreira dele, momento de vida, já mais experiente [67 anos]... acho que seria o último desafio dele, que ele se adaptaria. Ele poderia estar mais tranquilo, acompanhando os jogos, até mesmo de casa, não precisando viajar para lá e para cá. Acho que seria uma boa, sim. Se encaixaria perfeitamente no momento de vida dele», completou.

Alvo nos últimos dias do Flamengo, onde brilhou entre 2019 e 2020, Jorge Jesus, cujo contrato com os encarnados é válido até junho de 2022, declarou recentemente que não acredita num eventual convite da CBF.

«Hoje sou eu que escolho quem quero treinar. Quando comecei a carreira não era tão bem assim. A seleção brasileira nunca foi treinada por um estrangeiro. Penso que não vou ser eu. Qualquer treinador do mundo gostaria de treinar a seleção brasileira», destacou.

Relacionados

Benfica

Mais Benfica

Patrocinados