"Ridículo", "selvagem", "humilhante". Johnny Depp volta a depor e diz que alegações de Amber Heard são "de loucos"

26 mai, 11:48
Johnny Depp

Ator, que acusa a ex-mulher de difamação, foi novamente ouvido em tribunal e voltou a dizer que nunca bateu na atriz. Esta quarta-feira, foi ainda ouvido o ex-funcionário da TMZ responsável pela publicação do vídeo em que Depp parte os armários da cozinha

Johnny Depp voltou esta quarta-feira ao banco das testemunhas para contrapor as declarações da ex-mulher no julgamento que coloca o ex-casal frente-a-frente. Questionado pela sua equipa jurídica sobre qual foi a sua reação quando ouviu Amber Heard testemunhar ao longo de quatro dias, o ator afirmou que as acusações que esta alega ter sofrido são "loucas".

"É de loucos ouvir as acusações hediondas de violência, violência sexual que ela me atribui, de que ela me acusou. Acho que ninguém gosta de ter de se abrir e dizer a verdade. Mas há momentos em que é preciso porque simplesmente as coisas ficaram foram de controlo. [Foi] Horrível. Ridículo. Humilhante. Ridículo. Doloroso. Selvagem. Inacreditavelmente brutal. Cruel e falso. Tudo falso", afirmou.

De acordo com a Associated Press, o ator, que foi ainda alvo de interrogatório pela defesa de Amber, deu ainda respostas específicas sobre algumas das alegações de Amber Heard e da irmã Whitney Henriquez. O ator diz que "Whitney parecia estar sempre do lado mau da história" e que esta acaba por ser o "saco de pancada" da irmã.

Amber Heard na sessão de julgamento de 25 de maio (EPA)

"Nunca na minha vida cometi agressão sexual, abuso físico, todas essas histórias bizarras e ofensivas sobre mim a cometer essas coisas. E viver com isso durante seis anos e à espera de poder trazer a verdade à tona... Aconteça o que acontecer, cheguei aqui e disse a verdade e falei sobre o que, relutantemente, carrego aos ombros há seis anos", afirmou Depp

Depp disse ainda que não teve nada a ver com o papel de Amber Heard em Aquaman, mas que quando a ex-mulher fez a audição para o papel lhe pediu se podia fazer uma chamada para a Warner Bross a interceder por ela e que assim fez. Impedido pelos advogados de Heard de dar mais detalhes, o ator afirmou apenas que, "no final, ela conseguiu o trabalho, por isso, acho eu, consegui conter as preocupações deles até algum ponto".

Leia também: Kate Moss chamada a depor no caso Depp vs Heard: "Ele nunca me empurrou, pontapeou ou atirou de escadas"

No seu testemunho, Depp abordou ainda o depoimento de Kate Moss, que foi ouvida antes dele, e afirmou que tudo aconteceu como a ex-namorada disse, acrescentando que contou a história a Amber Heard há alguns anos e que esta "pegou nela e tornou-a num incidente muito feio, tudo na mente dela". 

“Nunca houve um único momento em que empurrei a Kate escada abaixo, mas ela já lançou isso três vezes”, afirmou.

Ex-funcionário do TMZ explica vídeo de 2016

Esta quarta-feira foi ainda ouvido em tribunal um antigo funcionário do site TMZ. O ex-funcionário explicou como é que o site conseguiu publicar o vídeo de Johnny Depp a partir armários da cozinha, em 2016, sem revelar a fonte. Segundo Morgan Tremaine, o vídeo foi recebido e só foi publicado depois de ter a autorização (que neste caso foi conseguida em minutos) do criador ou detentor de direitos do vídeo. 

Apesar de não revelar a fonte, Tremaine deixou no ar que a autorização só foi rápida por causa do autor do vídeo e disse ainda que quando recebeu o vídeo, este não tinha partes que foram exibibas no tribunal: o início tinha sido editado e não se via a atriz a ligar a câmara e a posicionar o telemóvel, assim como o final, em que Amber Heard para a gravação.

"Quando cliquei no link direto que recebemos vi o vídeo na íntegra. Era muito mais curto do que o vídeo que recebemos. Houve um pouco do início que foi exibido em tribunal em que a senhora Heard está, aparentemente, a configurar a câmara e a posicionar-se. E depois, há um pouco do final, onde ela aparentemente se ri e olha para a câmara. Essa parte não estava presente no vídeo que recebemos", afirmou.

Esta quinta-feira serão ouvidas as últimas testemunhas deste julgamento, que arrancou a 11 de abril, estando as alegações finais marcadas para esta sexta-feira. Ao longo de quatro dias, Johnny Depp prestou depoimento, sendo confrontado com mensagens, vídeos e áudios das discussões entre o casal. Também Amber Heard foi ouvida ao longo de quatro dias.

Neste processo de difamação, Depp exige 46 milhões de euros à ex-mulher, tendo a atriz avançado com acusação semelhante, mas exigindo 93 milhões.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados