Jogos da sorte renderam mais de 291 mil euros por dia ao Serviço Nacional de Saúde

3 nov, 08:25
Raspadinha

REVISTA DE IMPRENSA. No total, foram 106 milhões só no ano de 2021

Se no ano passado jogou nos jogos sociais da Santa Casa, como o Euromilhões, o Totoloto e as raspadinhas, bem como nos jogos online, como o Placard, saiba que contribuiu para que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) recebesse mais de 291 mil euros por dia. A notícia é avançada na edição do jornal Público desta quinta-feira. 

Segundo os dados do Relatório de Gestão e Demonstrações Financeiras e Orçamentais da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), se olharmos para o total do ano, de 1 de janeiro a 31 de dezembro de 2021, o SNS recebeu desta contribuição mais de 106 milhões de euros. 

"Em 2021, a distribuição dos resultados líquidos dos Jogos Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa contribuiu em 95.533.307,51 euros para a receita efectiva, verificando-se uma diminuição de 1,66% face a 2020 (97,1 milhões de euros)", lê-se no documento que sublinha que "a receita com origem no jogo online, transferida pelo Turismo de Portugal para a ACSS totalizou 11.028.729,89 euros, apresentando um aumento face ao período homólogo de 120,7%".

Ainda assim, e em comparação com 2020, no ano passado os jogos da sorte renderam no total mais quatro milhões de euros ao SNS. Nesse ano, 2020, o serviço público de saúde recebeu 102 milhões.

De acordo com os dados recolhidos pelo Público, em cinco anos, entre 2017 e 2021, os jogos sociais e online deram uma contribuição de cerca de 565,8 milhões de euros para a Saúde. Os mais rentáveis foram 2018 e 2019, com transferências na ordem dos 120,5 milhões e 122,1 milhões de euros, respectivamente.

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados