Presidentes dos EUA e da China deverão falar nas próximas semanas

Agência Lusa , FMC
27 jun, 16:37
Joe Biden e Xi Jinping (Paul J. Richards/ Getty)

O encontro acontece numa altura em que as relações entre as potências estão extremamente tensas, por causa das posições assumidas face à guerra na Ucrânia e ao estatuto de Taiwan

Os presidentes dos Estados Unidos e da China deverão reunir-se “nas próximas semanas”, confirmou esta segunda-feira o principal conselheiro diplomático norte-americano, Jake Sullivan, à margem da cimeira do G7, na Alemanha.

O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, “terão a oportunidade de conversar nas próximas semanas”, afirmou Sullivan, sem especificar a forma nem a data desta reunião.

O encontro deverá acontecer numa altura em que as relações entre as duas superpotências estão extremamente tensas, por causa das posições assumidas face à guerra na Ucrânia e ao estatuto de Taiwan e por questões económicas.

Assegurando que, tanto ao nível do G7 (grupo dos sete países mais industrializados do mundo) como da NATO sempre houve “convergência relativamente aos desafios”, Jake Sullivan sublinhou que “competição não significa confronto”.

Um dos temas da conversa poderá ser a manutenção das tarifas impostas pelos Estados Unidos aos produtos fabricados na China e a obrigação chinesa de aumentar a compra de produtos norte-americanos.

Questionado na semana passada pelos jornalistas, quando dava um passeio de bicicleta, Biden admitiu que ia falar com Xi Jinping, mas sublinhou não ter ainda tomado nenhuma decisão sobre as sobretaxas.

As sobretaxas, que somam o equivalente a 350 milhões de dólares (331 milhões de euros) anuais, foram impostas pelo anterior presidente norte-americano, Donald Trump, mas o seu prazo de validade não ficou explícito, podendo ser levantadas em 06 de julho, em 23 de agosto ou no período entre setembro próximo e setembro de 2023.

A expectativa de uma reunião entre Biden e Xi ganhou força na segunda-feira passada, depois de um encontro pessoal entre o principal conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos e o principal diplomata chinês.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados