"Foi brutal". Pesos pesados do Partido Democrata pedem saída de Biden durante telefonema crucial

CNN , Dana Bash, Jeff Zeleny, Priscilla Alvarez, MJ Lee e Pamela Brown
7 jul, 22:51
O Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (EPA/TING SHEN)

Mais de um punhado de democratas da Câmara dos Representantes disse ao líder da minoria, Hakeem Jeffries, numa reunião à distância ocorrida este domingo, que o presidente Joe Biden tem de se afastar da campanha de 2024, de acordo com fontes que falaram à CNN.

Jeffries chamou os representantes para lhes medir a temperatura antes de os membros regressarem a Washington esta semana. O telefonema foi repleto de profunda preocupação com os potenciais danos causados ao desempenho democrata e com a forma como isso põe em risco as hipóteses de o partido recuperar a maioria na câmara baixa do Congresso.

O responsável não partilhou com os seus colegas a sua posição sobre a questão de saber se Biden deve continuar a concorrer à reeleição, confirmou à CNN uma fonte que participou na chamada.

O número de legisladores que disseram explicitamente que Biden não deveria ser o candidato democrata foi maior do que o número dos que defenderam a sua permanência, segundo uma das fontes. Entre os que se opuseram à nomeação de Biden estão os representantes Mark Takano, Adam Smith, Jim Himes, Joe Morelle, Jerry Nadler e Susan Wild, de acordo com três fontes. Os deputados democratas Maxine Waters e Bobby Scott falaram em apoio a Biden, de acordo com uma das fontes.

Uma das preocupações expressas durante o telefonema de quase duas horas foi que os democratas perderão a chance de obter a maioria na Câmara dos Representantes se Biden for o candidato, confirmou uma das fontes, acrescentando que era geralmente reconhecido que o candidato democrata deve ser a vice-presidente Kamala Harris.

"Foi brutal", disse à CNN um alto assessor democrata, falando sob condição de anonimato.

Não se espera que sejam tomadas decisões sobre as exigências de uma reunião na Casa Branca ou sobre o envio de uma carta a Biden antes de toda a bancada democrata se reunir na terça-feira, disseram os assessores, mas Jeffries deixou claro que permitirá que os membros digam o que pensam e façam os seus próprios julgamentos.

Um democrata sénior da Câmara dos Representantes confirmou que tem participado em telefonemas e conversas de grupo com dezenas de colegas, onde o consenso é que Biden precisa de se afastar. O mesmo membro disse que a bancada está a tentar "encontrar a melhor forma de avançar", sem deixar de dar ao presidente o respeito que acreditam merecer pela sua carreira histórica.

Na opinião deste mesmo representante e de outro membro, terça-feira - o dia da reunião planeada da bancada - será o dia mais importante para o presidente esta semana.

Um dos membros revelou à CNN que se prevê que esse será o dia em que a barragem se romperá.

Muitos democratas preocupados com a viabilidade de Biden como candidato, na sequência do seu fraco desempenho no debate, estão à espera que Jeffries tome uma posição pública.

Até agora, o líder tem estado propositadamente a ouvir - como disse uma fonte à CNN na semana passada, Jeffries tem evitado "assiduamente" partilhar a sua própria opinião sobre o assunto, enquanto continua a sondar o seu próprio caucus.

Biden, que visitou o campo de batalha da Pensilvânia no domingo, respondeu com um sonoro "sim" quando a imprensa lhe perguntou se o Partido Democrata ainda o apoiava.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados