"Um bom dia para a América". Joe Biden reage aos resultados eleitorais e à "gigante onda vermelha" que ficou por acontecer

9 nov, 22:23
Joe Biden (AP Photos)

Prestes a perder o controlo da Câmara dos Representantes, Biden diz estar "preparado para trabalhar com meus colegas republicanos"

O presidente Joe Biden reagiu esta quarta-feira aos resultados das eleições intercalares norte-americanas, sublinhando que “foi um bom dia para a América” e que a “gigante onda vermelha” ficou por acontecer.

“O povo americano falou e demonstrou que a Democracia faz parte de quem nós somos”, destacou o líder norte-americano.

Com os problemas económicos no topo da lista de preocupações dos norte-americanos, Joe Biden destacou os vários obstáculos económicos com que a sua administração se tem defrontado, nestes dois primeiros anos de mandato, com a covid-19 e o agravar de uma crise económica devido à invasão russa da Ucrânia.

Apesar de o resultado eleitoral estar longe de ser o desejado pelos democratas, acabou por não ser tão pesado quanto alguns analistas anteciparam. Ainda assim, os votos do partido republicano podem ser suficientes para “roubar” o controlo da Câmara dos Representantes aos democratas. Biden desvaloriza a situação e garante estar preparado “para trabalhar com os meus colegas republicanos”.

"O povo americano deixou claro. Eu acho que eles esperam que os republicanos estejam preparados para trabalhar comigo também", afirmou.

Joe Biden tenciona continuar a colaborar com os republicanos, particularmente no apoio à Ucrânia, onde espera conseguir aprovar pacotes de ajuda militar com apoio bipartidário. “Na área de política externa, espero que continuemos com uma abordagem bipartidária de enfrentar a agressão da Rússia na Ucrânia”, referiu.

No entanto, Biden estabelece o seu limite de cooperação com o partido republicano no que toca a “propostas que façam com que a inflação piore” nem que façam com que os Estados Unidos da América se desviem dos seus “compromissos históricos” feitos para combater as alterações climáticas.

Ganhar a maioria na Câmara dos Representantes daria aos republicanos o poder de definir a agenda do Congresso. Os republicanos da Câmara também teriam poder de intimação e controle sobre comités importantes - e deixaram claro que fariam das investigações sobre o governo Biden uma prioridade.

Apesar de nem todos os votos estarem contabilizados, Biden afirmou que o ato eleitoral ocorreu com “pouca ou quase nenhuma interferência” estrangeira. Porém, o democrata reconheceu as frustrações dos eleitores depois de “um ano muito duro para muitas pessoas”

Biden planeia recandidatar-se à presidência, mas deixa anúncio para 2023

Joe Biden, disse ainda que planeia recandidatar-se à presidência, mas afirmou que tal resultará de uma “decisão familiar” que deverá ser tomada “no início do próximo ano”.

Numa conferência de imprensa na Casa Branca para comentar o resultado das eleições intercalares de terça-feira, Biden disse que "não tem pressa" relativamente à decisão de se submeter eleições para um segundo mandato na Casa Branca, mas que o seu plano é recandidatar-se.

Joe Biden frisou que não sente pressa em tomar a decisão sobre a corrida de 2024, acrescentando que quer discutir o assunto com a sua mulher, Jill Biden, durante a época festiva que se aproxima.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados