João Lourenço: "A vontade soberana do povo angolano acaba de conferir ao MPLA a legitimidade de governar Angola"

Rafaela Laja , em atualização
29 ago, 17:27

Candidato do MPLA à reeleição congratula-se pela maioria absoluta, naquela que considera ter sido uma “vitória da humildade, da seriedade e da estabilidade”

João Lourenço, reeleito para um segundo mandato na presidência de Angola, congratulou-se esta segunda-feira com a vitória do MPLA numas eleições que considera terem sido "livres", "justas" e "transparentes".

Num longo discurso em Luanda, após a divulgação dos resultados finais, o presidente reeleito estendeu vários elogios à CNE, enaltecendo que a entidade assegurou umas eleições democráticas.

"A vontade soberana do povo angolano acaba de conferir ao MPLA a legitimidade de governar Angola", afirmou, acrescentando que "esta é mais uma vitória de Angola e dos angolanos".

"Maioria absoluta quer dizer que não há dúvidas", frisou.

A Comissão Nacional Eleitoral de Angola (CNE) anunciou esta segunda-feria à tarde os resultados oficiais das eleições do país: o MPLA obteve 51,17 %, o que corresponde a 124 deputados; a UNITA conseguiu 43,95%, elegendo 90 deputados.

Os resultados finais foram apresentados na sede da CNE pelo presidente do órgão, Manuel Pereira da Silva. Segundo os dados apresentados, votaram 44,82% dos 14,4 milhões de eleitores, com 1,67% de votos brancos e 1,15% de votos nulos.

O MPLA arrecadou 3.209.429 de votos e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA) conquistou 2.756.786 votos. 

O plenário da CNE proclamou assim Presidente da República de Angola João Lourenço, cabeça de lista pelo MPLA, e vice-presidente Esperança da Costa, segunda da lista do MPLA.

Relacionados

África

Mais África

Patrocinados