Portugal retira candidatura de João Leão ao cargo de Diretor-Geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade

20 set, 11:11
João Leão (Lusa/Manuel de Almeida)

Também o Luxemburgo retirou a candidatura

Portugal retirou a candidatura de João Leão ao cargo de Diretor-Geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade, anunciou esta terça-feira o Ministério das Finanças.

Para além da canidatura o ex-ministro das Finanças português, também a candidatura do ex-ministro luxemburguês Pierre Gramegna ao cargo de Diretor-Geral do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) foi retirada "de comum acordo no interesse da instituição sediada no Luxemburgo".

"Na sequência de consultas informais que tiveram lugar nos últimos meses entre os ministros das Finanças da área do euro, verificou-se que, ainda que cada um dos candidatos tenha reunido um grande número de votos, nenhum dos dois conseguiu obter a maioria qualificada de 80% dos votos necessária para ser  nomeado Diretor-Geral do MEE", lê-se na nota do Ministério.

O comunicado diz ainda que a decisão foi tomada "para evitar um impasse e para não prejudicar a sucessão de Klaus Regling, atual diretor-geral do MEE, as duas candidaturas foram retiradas da disputa a partir de hoje".

A posição hoje conhecida surge depois de divergências entre os países do euro nas consultas promovidas por Paschal Donohoe para a sucessão no MEE, sendo que na ‘corrida’ estavam agora os ex-ministros português e luxemburguês das Finanças, João Leão e Pierre Gramegna.

O alemão Klaus Regling, que é diretor executivo do Mecanismo desde a sua criação, em 2012, terminaria o seu mandato a 07 de outubro, pelo que a sucessão no MEE deveria acontecer a partir de 08 de outubro.

Líderes

Mais Líderes

Patrocinados