Santos Silva diz que Gomes Cravinho vai ser "bem melhor" do que ele como ministro dos Negócios Estrangeiros

Agência Lusa , CM
28 mar, 14:39

Ministro da Defesa vai trocar de pasta depois de Marcelo Rebelo de Sousa ter exigido que abandonasse aquela pasta devido ao mal-estar gerado com o Presidente da República, nomeadamente após a indicação de Gouveia e Melo para Chefe do Estado-Maior da Armada

O ex-ministro Augusto Santos Silva afirmou esta segunda-feira que o seu sucessor, João Gomes Cravinho, que o Presidente da República não quis que continuasse no Governo como titular da Defesa, fará melhor do que ele na pasta dos Negócios Estrangeiros.

Estas palavras foram proferidas por Santos Silva no Palácio de Belém, em Lisboa, depois de ter sido exonerado das funções de ministro de Negócios Estrangeiros - cargo em que foi empossado transitoriamente o primeiro-ministro, António Costa, até ao XXII Governo cessar funções na quarta-feira.

Com a posse de António Costa por dois dias no lugar de ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva pode assumir na terça-feira o lugar de deputado do PS e candidatar-se nesse mesmo dia a presidente da Assembleia da República.

Perante os jornalistas, Augusto Santos Silva referiu-se à escolha de João Gomes Cravinho, diplomata e até agora titular da pasta da Defesa, para as funções de ministro dos Negócios Estrangeiros do XXIII Governo Constitucional.

“O meu sucessor como ministro dos Negócios Estrangeiros do XXIII Governo fará certamente bem melhor do que eu o desempenho de ministro, numa casa que conhece bem e numa política externa portuguesa que beneficia de um amplo consenso e convergência nacional”, afirmou.

Nas suas breves declarações referiu ainda que, no plano pessoal, hoje terminou “um ciclo de 15 anos de desempenho de funções governativas com três primeiros-ministros”, António Guterres, José Sócrates e António Costa, que "sempre" o apoiaram.

Augusto Santos Silva disse que lhe “foi particularmente grato exercer funções no XXI e no XXII governos o exigente cargo de ministro dos Negócios Estrangeiros sob a liderança do primeiro-ministro, António Costa”.

Depois, fez uma alusão ao seu regresso ao Parlamento como deputado do PS e candidato a presidente da Assembleia da República, cuja eleição está marcada para o plenário de terça-feira à tarde.

“A partir de terça-feira, vou assumir funções como deputado, o que significa que hoje à tarde sou uma pessoa livre”, acrescentou.

Na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, em Lisboa, além de António Costa, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa deu também posse transitoriamente aos secretários de Estado dos Assuntos Europeus, Ana Paula Zacarias, dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Francisco André, e das Comunidades Portuguesas, Berta Nunes, os três reconduzidos.

Além de Augusto Santos Silva, foi exonerado o secretário de Estado cessante da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, proposto por António Costa para líder parlamentar do PS na nova legislatura.

Estiveram presentes nesta curta cerimónia, que durou menos de quatro minutos, o presidente cessante da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e a ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva. No fim da sessão de cumprimentos, Augusto Santos Silva recebeu um abraço prolongado de António Costa.

O novo Governo toma posse na quarta-feira, mas antes disso terá início a nova legislatura, na terça-feira, com a primeira sessão plenária marcada para as 10:00 e a eleição do presidente da Assembleia da República para as 15:00.

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Novo Governo

Mais Novo Governo

Patrocinados