Ministra da Justiça lamenta morte de Joana Marques Vidal, que "será sempre merecedora de admiração e gratidão"

Agência Lusa , DCT
9 jul, 16:57
Joana Marques Vidal

Rita Alarcão Júdice afirma “juntar-se aos que vão sentir a sua falta e aos que lhe prestam tributo pelo seu caráter, retidão e dedicação à Justiça”

A ministra da Justiça lamentou esta terça-feira a morte da antiga Procuradora-Geral da República (PGR) Joana Marques Vidal, manifestando “profundo respeito” pela perda daquela “magistrada notável”.

“É com profundo respeito que o Ministério da Justiça lamenta a morte de Joana Marques Vidal, magistrada notável e antiga Procuradora-Geral da República”, escreve a ministra da Justiça, Rita Alarcão Júdice em comunicado.

A Ministra da Justiça afirma “juntar-se aos que vão sentir a sua falta e aos que lhe prestam tributo pelo seu caráter, retidão e dedicação à Justiça”.

“Joana Marques Vidal será sempre merecedora da nossa homenagem, admiração e gratidão, partilhamos com a sua família a dor e a saudade”, refere o comunicado do Ministério da Justiça.

Também o Presidente da República já reagiu à notícia da morte de Joana Marques Vidal, que visitou "há duas semanas" no Hospital de São João no Porto, onde estava há várias semanas internada em coma. Marcelo Rebelo de Sousa lembrou a ex-procuradora-geral da República como uma "jurista ilustre", que tinha o respeito e apoio de todos, não apenas dos seus pares como da sociedade em geral.

A informação foi confirmada à Lusa por fonte próxima da família, depois de ter sido avançada pelo jornal online Observador.

Joana Marques Vidal foi a primeira mulher a liderar a Procuradoria-Geral da República, entre 2012 e 2018, sendo sucedida no cargo por Lucília Gago.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados