Vaticano responsabiliza a Câmara de Lisboa pelo valor milionário do altar para o Papa

CNN Portugal , DCT
27 jan 2023, 16:25
Altar-palco da JMJ (JMJ)

Diretor do gabinete de imprensa do Vaticano reagiu à polémica

“A organização do evento é local.” Foi assim que Matteo Bruni, diretor do gabinete de imprensa da Santa Sé, demarcou o Vaticano de qualquer responsabilidade no custo do altar que vai ser criado em Lisboa a propósito da Jornada Mundial da Juventude e que leva o Papa Francisco à capital portuguesa.

Segundo site ACI Prensa, Matteo Bruni coloca a responsabilidade diretamente na Câmara de Lisboa, apesar de Carlos Moedas ter dito que “as especificações daquele palco foram definidas em reuniões que tivemos com a Jornada Mundial da Juventude, com a Igreja e com a Santa Sé [Vaticano]”.

O valor do altar - que vai ultrapassar os cinco milhões de euros - tem causado polémica nos últimos dias. O Presidente da República já pediu a redução de custos e a Igreja diz estar disponível para cortar em algumas despesas do projeto. E Carlos Moedas diz que vai alinhar na vontade de ambos: “Tudo o que for vontade do Presidente e da Igreja, eu aceitarei e farei”.

O orçamento da igreja para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) ainda não está fechado mas será divulgado nos próximos dias, tendo já um valor provisório superior a 80 milhões de euros.

“80 milhões de euros é o valor que conseguimos ver no orçamento de 2023 nas nossas responsabilidades”, disse Américo Aguiar, bispo-auxiliar de Lisboa, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023 e coordenador geral do Comité Organizador Local (COL) em conferência de imprensa ao final da tarde de quinta-feira na sede da Fundação, em Lisboa.

 

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados