JMJ: meio milhão de pessoas previstas em Fátima para a visita do Papa

Agência Lusa , DCT
28 jul 2023, 15:12
Papa Francisco (EPA)

O Papa chega a Lisboa no dia 2 de agosto, tendo prevista uma visita de duas horas ao Santuário de Fátima no dia 5, para rezar pela paz e pelo fim da guerra na Ucrânia.

Cerca de meio milhão de pessoas são esperadas em Fátima para a visita do Papa Francisco por ocasião da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), disse esta sexta-feira o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro.

“A GNR [Guarda Nacional Republicana] está totalmente empenhada e mobilizada para garantir todas as condições de segurança àqueles que se dirijam a este santuário e a toda esta região, uma mobilização que se espera possa vir a ter cerca de 500 mil peregrinos no dia 05, entre os 300 mil no perímetro mais próximo do santuário e depois mais 200 mil nas imediações”, afirmou José Luís Carneiro, em Fátima (Santarém), após visitar o dispositivo desta força de segurança.

Mais de um milhão de pessoas são esperadas em Lisboa para a JMJ, com o Papa Francisco, de 1 a 6 de agosto.

O Papa chega a Lisboa no dia 2 de agosto, tendo prevista uma visita de duas horas ao Santuário de Fátima no dia 5, para rezar pela paz e pelo fim da guerra na Ucrânia.

Acompanhado pelo comandante-geral da GNR, tenente-general Santos Correia, e o secretário-geral do Sistema de Segurança Interna, Paulo Vizeu Pinheiro, o ministro referiu que em Fátima o número de militares se vai situar “próximo dos dois mil”, no dia 05, data de maior empenhamento de meios.

José Luís Carneiro adiantou que a Guarda está, igualmente, “preparada já para também o dia 13 de agosto, que é também um dia de grande movimento” em Fátima, assim como o dia 15 de agosto, feriado religioso. Em 12 e 13 de agosto, realiza-se a peregrinação do migrante e do refugiado e no dia 15 habitualmente acorrem a Fátima milhares de pessoas.

Segundo o governante, os dias 31 de julho e 5, 13 e 15 de agosto “são os momentos de maior empenhamento humano da Guarda Nacional Republicana”.

Cerca de dois mil militares da GNR vão estar em Fátima para a deslocação do Papa Francisco ao santuário, revelou na quinta-feira esta força de segurança à Lusa.

“No pico máximo, nós vamos ter em Fátima cerca de dois mil militares e o pico máximo prevê-se, naturalmente, no dia 05”, afirmou o major Carlos Canatário, oficial de comunicação e relações públicas da operação da GNR em Fátima.

Carlos Canatário esclareceu que o dispositivo da GNR “vai sofrer alterações e adaptações consoante as necessidades” verificadas neste período, sendo que já existe um “reforço de efetivo no terreno”.

O major acrescentou que a GNR dispõe de um “conjunto de valências policiais diferenciadas que procuram dar resposta às necessidades dos peregrinos nas mais diversas circunstâncias”, incluindo patrulhas apeadas, de bicicleta ou moto e a cavalo, operações especiais, ordem pública, equipas com cães e a inativação de explosivos.

“O nosso grande objetivo é procurarmos garantir o máximo de segurança possível com a mínima perturbação possível”, destacou, explicando que, no âmbito da cooperação internacional, vão estar na cidade-santuário elementos da Guardia Civil (Espanha), da Gendarmerie (França) e Carabinieri (Itália).

País

Mais País

Mais Lidas

Patrocinados