O que significa a condenação de Ghislaine Maxwell para o príncipe André

30 dez 2021, 12:11
Príncipe André
Príncipe André

Filho mais novo da rainha Isabel II é acusado por Virginia Roberts Giuffre, uma das vítimas de Jeffrey Epstein, de abuso sexual. Mas terá a condenação da socialite britânica consequências para André?

PUB

A socialite britânica Ghislaine Maxwell foi, esta quarta-feira, considerada culpada de ajudar o abusador sexual Jeffrey Epstein. O tribunal considerou que Maxwell desempenhava um papel fundamental na angariação e preparação de jovens, que depois eram abusadas pelo amigo Jeffrey Epstein. Mas o que significa esta condenação para o príncipe André, que também está envolvido no caso?

Segundo a BBC, na quarta-feira, o único caso que esteve em julgamento foi o de Ghislaine Maxwell e as provas que mostraram que esta era culpada dos crimes de que estava acusada. Já o príncipe André, que não tem nenhum processo criminal na justiça dos EUA, não foi citado no processo como tendo estado envolvido nos crimes.

PUB

O filho da rainha Isabel II é acusado por Virginia Roberts Giuffre, uma das vítimas de Jeffrey Epstein, de abuso sexual.

Amigo de dois abusadores condenados

No entanto, importa lembrar que o príncipe André conheceu Jeffrey Epstein através de, segundo o próprio, a longa amizade que tinha com Ghislaine Maxwell.

PUB
PUB
PUB

Em entrevista à BBC, em 2019, André de Inglaterra esclareceu que conheceu Epstein em 1999 dada a sua proximidade com Maxwell e que essa foi a única razão porque se conheceram.

Agora, o tribunal deu como provado que a socialite foi essencial para que o investidor conseguisse cometer os abusos sexuais.

Jeffrey Epstein, 66 anos, investidor em fundos especulativos, foi formalmente acusado de abuso sexual de menores e tráfico sexual de menores em julho de 2019. Menos de um mês depois, a 10 de agosto de 2019, o milionário foi encontrado morto na cela, numa prisão de Nova Iorque, no que as autoridades concluíram ter sido suicídio. A morte levou ao arquivamento do processo judicial, mas permanecem abertos processos cíveis.

Como está o caso Virginia Giuffre

A acusação de Giuffre diz por várias vezes que Epstein era próximo do duque de York, tão próximo que os dois tinham trocado números de telefone e o investidor esteve presente na festa do 40.º aniversário de André.

O caso de Maxwell não desmontou esta teoria e mostrou mesmo novas fotos de Maxwell e Epstein em Balmoral, residência particular da rainha na Escócia, em 1999, a convite do príncipe.

PUB
PUB
PUB

A jovem que acusa o duque de York de abuso sexual quando era menor não foi chamada a depor no caso da socialite britânica, mas o seu nome foi citado em tribunal por uma testemunha. 

No entanto, a ausência de Virginia em tribunal levantou dúvidas. A imprensa de Nova Iorque diz que a sua presença poderia causar distrações e que os advogados de Maxwell iriam procurar inconsistências nos seus relatos. Já o New York Times diz mesmo que parece que o testemunho de Giuffre só será colocado à prova depois desta dar provas no processo contra o príncipe.

Ligações a Londres

Uma das testemunhas ouvidas em tribunal esta quarta-feira revelou que teve encontros com Epstein em Belgravia, Londres, organizados por Maxwell.
No entanto, o nome do príncipe André nunca foi referido, nem sugerido por ‘Kate’, que também se chegou a encontrar com o financeiro na casa deste, na Flórida. 

Falta apenas perceber se a condenação de Maxwell tem implicações para a Scotland Yard, uma vez que, até agora, a polícia britânica não tomou nenhuma ação sobre as alegações no Reino Unido relacionadas com Jeffrey Epstein.

PUB
PUB
PUB

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados