Telescópio James Webb bate o próprio recorde e deteta a galáxia mais longínqua já descoberta: foi batizada JADES-GS-z14-0

Agência Lusa , NM
30 mai, 18:40
JADES-GS-z14-0, a galáxia mais longínqua alguma vez descobertespaça (NASA)

Investigadores ligados projeto realçaram ainda que "não é o género de galáxias previstas pelos modelos teóricos e simulações informáticas em todo o universo"

O telescópio espacial James Webb bateu o seu próprio recorde nas observações ao ter detetado uma galáxia mais longínqua, nunca antes descoberta, anunciou esta quinta-feira a agência espacial norte-americana NASA.

Esta galáxia, que existe há cerca de 290 milhões de anos, após o “big bang”, apresenta as particularidades relacionadas às "implicações profundas" para a nossa compreensão dos primeiros anos do Universo, explica a agência.

Nomeada JADES-GS-z14-0, ela "não é o género de galáxias previstas pelos modelos teóricos e simulações informáticas em todo o universo", declaram em comunicado os dois investigadores ligados a esta descoberta, Stefano Carniani e Kevin Hailine.

"Estamos felizes de verificar a extraordinária diversidade das galáxias que existem no mundo cósmico", acrescentam.

Desde seu lançamento em dezembro de 2021, o telescópio já observou galáxias antes de verificar as mais distantes. A nova galáxia encontrada é das mais distantes alguma vez encontrada, que faz com que o telescópio bata o seu próprio recorde, noticia a AFP.

Onde a galáxia se encontra é “excecionalmente brilhante considerando a sua distância”, de acordo com a NASA, que estima que há uma massa de milhões de centenas de milhões de anos longe do sol.

Isso levanta a questão: “como a natureza foi capaz de criar uma galáxia tão luminosa, massiva e grande em menos de 300 milhões de anos?”, perguntaram os dois pesquisadores.

O telescópio James Webb está estacionado a 1,5 milhão de quilómetros da Terra e é usado para observações de cientistas de todo o mundo.

Ciência

Mais Ciência

Patrocinados