Revista Nature considera Bolsonaro uma "ameaça" para a ciência e para os indígenas

Agência Lusa , AM
26 out, 13:13
Jair Bolsonaro (AP Photo/Bruna Prado)

Editorial critica ainda os cortes feitos pelo atual Governo brasileiro na área da educação

A revista científica Nature descreveu o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro como um "populista" ao estilo do ex-presidente norte-americano Donald Trump, afirmando que representa uma "ameaça" para a ciência, os povos indígenas e o desenvolvimento do seu povo.

Num editorial publicado esta terça-feira, a revista acusa Bolsonaro de ter assumido o cargo "negando a ciência, ameaçando os direitos dos povos indígenas e promovendo as armas como solução para os problemas de segurança".

"Bolsonaro foi fiel à sua palavra. O seu mandato foi desastroso para a ciência, para o ambiente e para o povo brasileiro", observou a revista, que criticou ainda os cortes feitos pelo atual Governo brasileiro na área da educação.

A Nature comparou Bolsonaro com o "ex-colega populista dos Estados Unidos" Donald Trump, com quem coincidiu na negação dos "avisos dos cientistas sobre o coronavírus", bem como dos "perigos da doença".

Ao mesmo tempo que criticou duramente Bolsonaro, a revista elogiou algumas das políticas de financiamento levadas a cabo durante os mandatos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em domínios como a educação, ciência e ambiente.

"Durante algum tempo, o Brasil quebrou a ligação entre a desflorestação e a produção de carne de bovino e soja. Parecia que o país poderia ser pioneiro na sua própria marca de desenvolvimento sustentável. Muito desse progresso foi desmantelado", lamentou a Nature.

Lula da Silva e Bolsonaro disputam no domingo a segunda volta das eleições presidenciais brasileiras.

Brasil

Mais Brasil

Patrocinados