Ivana Trump terá tido morte acidental

15 jul, 11:55
Imprensa concentra-se em frente à casa de Ivana Trump, em Nova Iorque, depois do anúncio da morte da empresária [Foto: AP/Mary Altaffer]

A primeira mulher de Donald Trump morreu na quinta-feira, com 73 anos. Polícia de Nova Iorque acredita que não houve crime e aguarda resultados da autópsia

Ivana Trump, a primeira mulher de Donald Trump, cuja morte foi anunciada ontem, quinta-feira, terá tido uma morte acidental na própria casa de Manhattan, em Nova Iorque.

Segundo fonte da polícia, citada pela Associated Press, Ivana, que tinha 73 anos, terá sido encontrada inconsciente junto das escadas da sua residência. As autoridades acreditam que a ex-modelo e empresária pode ter caído nos degraus.

Uma declaração oficial da polícia de Nova Iorque, citada pela CNN, revela ainda que não parece ter havido crime na morte de Ivana Trump. O comunicado esclarece que a polícia recebeu um pedido de ajuda pelas 12:40 de quinta-feira - hora local, mais cinco horas em Lisboa - e que encontrou uma "mulher de 73 anos inconsciente e sem reação".

Já os bombeiros de Nova Iorque declararam apenas que responderam a uma emergência com uma pessoa em paragem cardíaca numa residência, acrescentando que a vítima estava já morta à chegada dos socorristas.

Ivana Trump fotografada num evento em 2018 [Foto: Evan Agostini/Invision/AP]

O gabinete de medicina legal irá agora realizar uma autópsia para determinar a causa exata da morte da ex-mulher de Trump, avança a CNN, que contactou o serviço mas não obteve qualquer esclarecimento.

A "vida perfeita" da mulher que não quis ser embaixadora de Trump

Ivana Trump era atualmente empresária, parte da alta-roda nova-iorquina e a mãe dos três filhos mais velhos de Donald Trump: Donald Jr., Ivanka e Eric Trump. Numa reação à morte da ex-mulher, publicada na sua rede social Truth Social, o antigo presidente dos Estados Unidos confirmou que Ivana morreu na sua casa em Nova Iorque, descrevendo-a como uma mulher "incrível" que levou uma vida "fantástica e inspiradora".

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Eric Trump (@erictrump)

 

O filho, Eric Trump, partilhou um comunicado no Instagram, ao lado de uma fotografia da família: "A nossa mãe era uma mulher incrível", escreveu. "Uma sobrevivente. Fugiu do comunismo e abraçou este país", acrescentou. "A sua falta será sentida pela sua mãe, os três filhos e dez netos".

Também Ivanka Trump publicou no Twitter uma reação. "De coração partido pela morte da minha mãe. A mãe era brilhante, encantadora, apaixonada e maliciosamente engraçada - nunca perdendo uma oportunidade de rir e dançar. Vou sentir a falta dela para sempre e manterei sempre a sua memória viva nos nossos corações". 

 

Donald Trump e Ivana casaram-se se em 1977 e divorciaram-se em 1992, depois de os tabloides revelarem uma relação extra-conjugal do magnata com Marla Maples, que viria a ser a segunda mulher de Trump e mãe da sua filha Tiffany. Ivana e Donald conheceram-se em 1976, quando Ivana já vivia nos EUA e tinha uma carreira de modelo, e casaram-se nove meses depois. A separação do casal não foi amigável e as desavenças que levaram ao divórcio fizeram capas de jornais.

Criada na antiga Checoslováquia, Ivana foi parceira do ex-marido em alguns dos seus mais importantes projetos de imobiliário. Donald descreveu-a, no seu livro "Trump: A Arte da Negociação", como "exigente e muito competitiva", elogiando-lhe as capacidades de gestão. Quando comprou o seu casino em Atlantic City, nos EUA, que batizou de "Trump's Castle", escolheu Ivana para diretora-geral.

"Quando se trata de gerir um casino, boas capacidades de gestão são tão importantes como experiência específica de jogo", defende Trump no livro, citado pela CNN, acrescentando: "Ela deu-me razão".

Em 2017, a ex-mulher de Trump chegou a revelar, num programa da estação norte-americana CBS, que recusou uma oferta do então presidente para ser embaixadora do seu país natal, a atual Chéquia (República Checa). "Eu gosto da minha liberdade. Eu gosto de fazer o que quero fazer, ir onde quiser com quem quiser. E posso pagar o meu estilo de vida", declarou então. "Porque haveria eu de dizer adeus a Miami no inverno, Saint-Tropez no verão e Nova Iorque na primavera e outono? Tenho uma vida perfeita", resumiu. 

Depois de se separar de Donald Trump, tendo conseguido receber, após chegar a acordo com o ex-marido, 14 milhões de dólares (cerca de 14 milhões de euros, de acordo com a conversão corrente), Ivana viria a casar-se e a divorciar-se mais duas vezes. A antiga modelo e atleta - destacou-se como esquiadora desde muito nova, além de ter trabalhado como manequim logo no seu país natal - viria depois a ter sucesso como empresária lançando linhas de roupa, joias e produtos de beleza que vendia em programas de televisão.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados