Primeiro-ministro de Israel faz alusão rara ao arsenal de armas nucleares do país

CNN , Andrew Carey e Amir Tal
2 ago, 17:35
Yair Lapid, Israel, 31 de julho de 2022 Foto Gil Cohen-Magen via AP

Yair Lapid referiu-se ao que chamou de “outras capacidades” de Israel, que “irão manter-nos vivos enquanto nós e os nossos filhos aqui estivermos"

O primeiro-ministro israelita, Yair Lapid, fez uma alusão rara ao amplamente suspeito arsenal nuclear do país durante um discurso esta segunda-feira.

Discursando num evento para assinalar uma mudança de liderança na Comissão de Energia Atómica do país, Lapid referiu-se às capacidades defensivas e ofensivas de Israel, bem como ao que ele chamou as suas "outras capacidades" – o que foi entendido como sendo uma referência às armas nucleares.

"A arena operacional na cúpula invisível acima de nós é construída sobre capacidades defensivas e ofensivas, e aquilo a que os meios de comunicação estrangeiros tendem a chamar ‘outras capacidades’. Estas outras capacidades mantêm-nos vivos e irão manter-nos vivos enquanto nós e os nossos filhos aqui estivermos", disse Lapid.

Acredita-se amplamente que Israel possui algumas centenas de armas nucleares, depois de ter desenvolvido a tecnologia nos anos 60. Ao contrário da maioria dos Estados, que têm armas nucleares assumidas, Israel nunca declarou formalmente a posse.

Em vez disso, Israel segue uma política de "opacidade" - o que significa que os líderes israelitas, quando pressionados, preferiram fazer apenas uma referência oblíqua ou ambígua às armas nucleares.

A primeira declaração deste tipo foi feita no início da década de 1960 pelo então júnior ministro da Defesa Shimon Peres, que disse que Israel "certamente não seria o primeiro a introduzir armas nucleares na região".

Mais recentemente, o antigo primeiro-ministro Ehud Olmert pareceu reconhecer a capacidade nuclear quando listou Israel, juntamente com os Estados Unidos, Rússia e França, como tendo armas nucleares, embora mais tarde tenha tentado andar para trás nos comentários, que foram feitos na televisão alemã.

Benjamin Netanyahu também se referiu a Israel como "potência nuclear" durante uma apresentação ao seu Gabinete, antes de se corrigir para dizer "potência energética".

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados