Primeiro-ministro israelita conversa com Mahmoud Abbas pela primeira vez desde que assumiu o cargo

Agência Lusa , NM
8 jul, 19:00
Manifestações na Palestina contra ocupações israelitas

Os dois líderes "falaram sobre a continuidade da cooperação e a necessidade de garantir tranquilidade e calma", após vários meses de instabilidade na Palestina

O primeiro-ministro israelita em funções conversou, esta sexta-feira, com o presidente da Autoridade Nacional Palestiniana (ANP), Mahmoud Abbas, pela primeira vez desde que assumiu o cargo, declarou o gabinete de Yair Lapid.

De acordo com um comunicado do gabinete do primeiro-ministro israelita, esta conversa com Abbas ocorreu devido ao feriado muçulmano de Eid al-Adha (Festa do Sacrifício). O líder palestiniano, por sua vez, parabenizou Yair Lapid pela sua nova posição no governo israelita.

A mesma fonte especificou que, durante a conversa, os dois líderes "falaram sobre a continuidade da cooperação e a necessidade de garantir tranquilidade e calma", após vários meses de instabilidade na área, onde mais de 70 pessoas morreram em incidentes violentos desde o final de março.

Por outro lado, Abbas também conversou hoje com o Presidente israelita, Isaac Herzog, com quem discutiu os preparativos para a visita do Presidente norte-americano, Joe Biden, à região na próxima semana.

Estas duas conversas ocorreram após uma reunião na noite de quinta-feira, na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, entre Abbas e o ministro da Defesa israelita, Beny Gantz, também focada na visita de Biden e na prevenção de incidentes violentos nos próximos dias.

Durante essa reunião, "discutiram os desafios civis e de segurança regionais" e "concordaram em continuar a coordenação de segurança e evitar atividades que possam causar instabilidade", segundo o gabinete de Gantz.

Estas conversas entre a liderança palestiniana e israelitas começaram em meados do ano passado, após a formação do recente Governo israelita, marcando o fim de mais de 10 anos sem conversas oficiais de alto nível entre os dois lados.

Os meios de comunicação locais informaram hoje que as autoridades israelitas temem uma nova onda de violência durante a visita de Biden, que acontecerá entre os dias 13 e 15 deste mês e incluirá reuniões com líderes israelitas e palestinianos.

O foco da visita do Presidente norte-americano, no entanto, deverá ser em questões regionais, considerando também que, após passar por Jerusalém, viajará para a Arábia Saudita, não sendo esperados grandes anúncios sobre o conflito entre israelitas e palestinianos.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados