Dois israelitas mortos em ataque no norte da Cisjordânia ocupada

Agência Lusa , AG
26 fev 2023, 15:19
Autoridades de Israel fazem operação após morte de dois israelitas na Cisjordânia (Majdi Mohammed/AP)

Forças israelitas tentam localizar o atacante

 

Dois israelitas morreram este domingo num tiroteio no norte da Cisjordânia ocupada, numa altura de alta tensão e de escalada da violência na região desde há algumas semanas, informaram os serviços médicos israelitas.

O tiroteio ocorreu numa estrada de uma localidade na região da cidade palestiniana de Nablus, no norte da Cisjordânia, quando "um terrorista chegou" a um cruzamento e "abriu fogo contra um veículo israelita", detalhou o Exército israelita num comunicado.

As vítimas, dois homens com cerca de 20 anos, ficaram gravemente feridas e foram declaradas mortas pouco depois, enquanto eram transportadas para o hospital, disse à agência de notícias espanhola EFE um porta-voz do serviço médico de emergência Magen David Adom (MDA).

As forças israelitas estão a tentar localizar o atacante, que conseguiu fugir. A área do incidente, perto de Nablus – um dos principais centros da resistência armada palestiniana – é uma zona onde palestinianos, tanto individualmente, como em milícias locais, efetuaram vários ataques nos últimos meses contra colonos e forças israelitas.

Segundo o jornal Haaretz, o atacante vestia uma camisola com a insígnia do Lion's Den (‘A Guarida dos Leões’), uma nova milícia palestiniana de Nablus que, no último ano, protagonizou ataques contra israelitas e foi também alvo de operações de retaliação. Estas incursões causaram a morte a parte dos seus membros e líderes, na sua maioria jovens da cidade e arredores.

O ataque de hoje ocorre também pouco tempo depois de um ataque militar israelita no centro de Nablus que, na quarta-feira, matou 11 palestinianos, incluindo seis milicianos e vários civis.

Este foi o incidente mais mortífero deste ano e o mais letal na Cisjordânia desde 2005, quando a ONU começou a registar estes números.

O atual pico de violência traduziu-se no início de ano mais violento na região desde 2000. Em menos de dois meses, 62 palestinianos morreram no conflito israelo-palestiniano, em grande parte devido às quase diárias operações de detenção israelitas em cidades palestinianas, que têm vindo a suceder-se há quase um ano e que, muitas vezes, culminam em confrontos armados.

Por sua vez, contabilizando os israelitas mortos no ataque desta tarde, o número de baixas este ano do lado de Israel sobe para 13, após vários ataques mortais cometidos por palestinianos na Jerusalém Oriental ocupada durante as últimas semanas.

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Mais Lidas

Patrocinados