Covid-19: China confina terceira cidade e coloca 20 milhões de pessoas em quarentena

Agência Lusa , RL
11 jan, 08:23
Cidade de Tianjin sai à rua para testagem em massa (AP)

Residentes estão proibidos de sair de casa, devido a um surto de covid-19

Uma terceira cidade chinesa proibiu esta terça-feira os seus residentes de saírem de casa, devido a um surto de covid-19, elevando o número de total de pessoas sob quarentena na China para cerca de 20 milhões.

Um comunicado das autoridades apontou que o bloqueio da cidade de Anyang vai durar, pelo menos, até que todos os 5,5 milhões de habitantes sejam testados.

Outras 13 milhões de pessoas estão sob quarentena na cidade de Xian, desde 23 de dezembro, e 1,1 milhão em Yuzhou.

O bloqueio de Anyang ocorreu após a confirmação de dois casos da variante Ómicron, detetados na segunda-feira e que se acredita estarem ligados a outros dois casos, diagnosticados, no sábado, na cidade portuária de Tianjin.

Parecem ser estes os primeiros casos de infeção local pela nova variante, para além de pessoas que chegaram do exterior e os seus contactos imediatos.

Os residentes não estão autorizados a sair das suas casas. Veículos não essenciais estão proibidos de circular e as lojas foram encerradas, exceto para aquelas que vendem bens essenciais, de acordo com um aviso emitido pelas autoridades locais.

Xian e Yuzhou estão a lutar contra a variante delta e nenhuma das cidades diagnosticou um caso da variante Ómicron. Cerca de 2.000 pessoas foram infetadas em Xian, a antiga capital chinesa que abriga as ruínas dos Guerreiros de Terracota.

Xian é o destino da única ligação aérea direta entre Portugal e a China e é operado pela Beijing Capital Airlines.

As autoridades de Xian suspenderam a ligação aérea direta com Lisboa, durante o mês de janeiro.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados