Saiba tudo sobre o Euro aqui

Líder supremo do Irão decreta cinco dias de luto nacional e confirma novo presidente interino até novas eleições

CNN Portugal , BCE
20 mai, 09:57

Depois de confirmar a morte de Ebrahim Raïssi, o governo iraniano assegurou que o incidente não irá causar “qualquer perturbação na administração” do país

O líder supremo do Irão, Ali Khamenei, decretou cinco dias de luto nacional pela morte do presidente iraniano, Ebrahim Raisi, e confirmou que o primeiro vice-presidente iraniano, Mohammad Mokhber, assume funções de presidente interino até novas eleições.

"Anuncio cinco dias de luto nacional e apresento as minhas condolências ao povo do Irão", declarou Ali Khamenei, citado num comunicado divulgado pela agência de notícias estatal IRNA.

No mesmo comunicado, Ali Khamenei anunciou que Mohammad Mokhber, primeiro vice-presidente do Irão, "vai gerir o poder executivo", assumindo assim as funções de Ali Khamenei até novas eleições, tal como determina o artigo 131.º da constituição. O presidente interino "está obrigado a combinar com os chefes do poder legislativo e judicial a eleição de um novo presidente num prazo máximo de 50 dias", acrescenta.

Já Ali Bagheri Kani será o ministro interino dos Negócios Estrangeiros do Irão, sucedendo assim a Hossein Amir-Abdollahian, que morreu no mesmo acidente que matou o presidente iraniano.

Esta manhã, depois de ser conhecida a morte do presidente do irão, os chefes dos três ramos do governo iraniano reuniram-se de emergência com Mohammad Mokhber, que participou no encontro como representante do poder executivo

"Vamos seguir o caminho do presidente Raisi no cumprimento das funções atribuídas sem qualquer interrupção", garantem os chefes dos três ramos do executivo, designadamente os representantes do executivo, do poder legislativo e judicial.

Depois de confirmar a morte de Ebrahim Raisi, o governo iraniano assegurou que o incidente não irá causar “qualquer perturbação na administração” do país.

“O presidente do povo iraniano, trabalhador e incansável, (...) sacrificou a sua vida pela nação”, disse o executivo de Teerão, num comunicado após a primeira reunião desde o acidente.

“Garantimos à nossa nação leal, grata e amada que, com a ajuda de Deus e o apoio do povo, não haverá a menor perturbação na administração do país”, acrescentou o Governo do Irão.

Relacionados

Médio Oriente

Mais Médio Oriente

Patrocinados