IPMA alarga aviso amarelo para o continente devido à previsão de "aguaceiros por vezes fortes" e trovoada

Agência Lusa , BCE
14 dez 2022, 19:06
Chuva

Anteriormente, o aviso amarelo estava em vigor até às 18:00

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera alargou até às 21:00 desta quarta-feira os avisos amarelos relativos a precipitação em quase todos os distritos do continente, com exceção de Bragança, não prevendo depois, inclusive na quinta-feira, avisos semelhantes.

Segundo a informação disponibilizada no site do instituto (IPMA), o aviso meteorológico amarelo, o menos grave de uma escala de três, mantém-se até às 21:00 em 17 distritos devido à previsão de “aguaceiros por vezes fortes e acompanhados de trovoada”.

Não são indicados mais avisos relativos a precipitação após essa hora.

Todos os distritos estavam em aviso amarelo desde as 09:00 devido à chuva, que devia terminar às 18:00.

Está ativo o nível amarelo relativo a agitação marítima em todos os distritos do litoral do continente - em Viana do Castelo, Braga, Porto, Aveiro, Coimbra e Leiria até às 24:00 desta quarta-feira, e em Lisboa, Setúbal, Beja e Faro até às 09:00 de sexta-feira.

Apenas estes últimos avisos vão estar em vigor no continente na quinta-feira, permanecendo todos os distritos ‘a verde’ (sem avisos) no mapa do instituto no que se refere a chuva.

O arquipélago da Madeira está abrangido esta quarta-feira por diferentes avisos amarelos, relativos a vento e agitação marítima, que terminam na quinta-feira, em diferentes horários, consoante a área em questão.

O aviso laranja (o segundo mais grave, a seguir ao vermelho) indica situação meteorológica de risco moderado a elevado e o amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

A chuva intensa e persistente que caiu na terça-feira causou mais de 3.000 ocorrências, entre alagamentos, inundações, quedas de árvores e cortes de estradas, afetando sobretudo os distritos de Lisboa, Setúbal, Portalegre e Santarém.

No total, há registo de 83 desalojados, segundo a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), e o mau tempo levou também ao corte e condicionamento de estradas e linhas ferroviárias, que têm vindo a ser restabelecidas.

Segundo a ANEPC, estão “cinco planos municipais de emergência ativos”, quatro no distrito de Portalegre e um em Santarém, mantendo-se em estado de alerta amarelo os planos especiais de emergência para as bacias dos rios Tejo e Douro devido ao risco de cheias.

Esta quarta-feira, a partir das 14:00, a Proteção Civil reduziu o nível de alerta de laranja para amarelo em todos os distritos de Portugal continental devido ao desagravamento das condições meteorológicas, mas alertou que poderiam ainda ocorrer “situações pontuais de inundação”.

A Proteção Civil estava em nível laranja (o segundo mais grave de uma escala de quatro) para todo o dispositivo desde terça-feira. O alerta amarelo (o terceiro da escala) significa um grau de gravidade moderado, existindo a possibilidade de ocorrência de fenómenos que, não sendo invulgares, podem representar um dano potencial para pessoas e bens.

A ANEPC tem quatro estados de alerta especial (azul, amarelo, laranja e vermelho), que determinam o reforço da monitorização e incremento do grau de prontidão do dispositivo.

Relacionados

Meteorologia

Mais Meteorologia

Patrocinados