Agente da polícia corrobora que Trump atacou serviços secretos que o impediram de ir ao Capitólio na insurreição

CNN , Jamie Gangel e Annie Grayer
15 jul, 12:38
Donald Trump durante comício em Washington

Agente da polícia que estava em Washington na invasão do Capitólio no 6 de Janeiro corrobora detalhes de uma troca quente de Trump com os Serviços Secretos

Um agente da polícia de Washington, DC, corroborou à comissão da Câmara [do Congresso dos EUA] que está a investigar [a invasão do Capitólio] a 6 de janeiro de 2021 detalhes relativos a uma “troca de satisfações” acalorada que o ex-Presidente Donald Trump teve com o seu destacamento dos Serviços Secretos, quando lhe foi dito que não podia ir ao Capitólio dos EUA depois do seu comício [na foto em cima], disse à CNN uma fonte familiarizada com o assunto.

O oficial do Departamento de Polícia Metropolitana estava com os Serviços Secretos na comitiva de Trump a 6 de Janeiro e relatou o que viu aos investigadores da comissão, de acordo com mesma a fonte.

Um porta-voz da comissão recusou-se a comentar. Um porta-voz do Departamento de Polícia Metropolitana não respondeu imediatamente aos comentários.

A descrição da troca furiosa entre Trump e os seus serviços secretos foi um momento marcante durante o testemunho de junho da antiga assessora da Casa Branca Cassidy Hutchinson. Hutchinson disse que ouviu um relato em segunda mão, que lhe foi dito por Tony Ornato, então vice-chefe de gabinete da Casa Branca, de que Trump estava tão enfurecido com o seu destacamento dos Serviços Secretos por o ter impedido de ir ao Capitólio no dia da insurreição, que “alcançou a frente do veículo para agarrar o volante” e “depois usou a sua mão livre para atacar" o seu agente chefe dos Serviços Secretos, Robert Engel. Hutchinson testemunhou que Ornato lhe contou a história à frente de Engel, que não contestou o relato.

Nenhum dos agentes mencionados no testemunho comentou publicamente o depoimento de Hutchinson. Mas pouco tempo depois, um funcionário dos Serviços Secretos, que só falaria sobre o contexto, disse que Engel iria negar partes da história relativas a Trump agarrando-se ao volante e atacando em direcção a um agente. A agência disse que os agentes envolvidos testemunhariam nesse sentido, embora ainda não tenham regressado à comissão para testemunhar.

A comissão está também a aproximar-se do motorista que estava no veículo presidencial, relativamente a um possível testemunho, disse a mesma fonte. Um advogado do motorista não respondeu a um pedido de comentários.

A CNN relatou anteriormente que duas fontes dos Serviços Secretos disseram ter ouvido falar de Trump a exigir furiosamente que o levassem ao Capitólio e a repreender o seu destacamento quando não conseguiu o seu intento. As fontes disseram à CNN que circularam histórias sobre o incidente nos meses após o 6 de Janeiro - incluindo detalhes semelhantes ao que Hutchinson descreveu à comissão.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados