Covid-19: internamento de crianças está perto de números recordes nos EUA. "É devastador", diz médico

CNN Portugal , MJC
30 dez 2021, 22:43
Criança faz teste covid
Criança faz teste covid

Na semana de 21 a 27 de dezembro, uma média de 334 crianças com 17 anos ou menos foram admitidas diariamente em hospitais com covid-19, um aumento de 58% em relação à semana anterior

PUB

Nos Estados Unidos a variante Ómicron está a levar números recordes de crianças e jovens para os hospitais - muitos deles ainda não vacinados. 

“É devastador", diz Paul Offit, especialista em doenças infeciosas do Hospital Infantil da Filadélfia, à agência Associated Press. “Já muito foi difícil no ano passado, mas agora sabemos que existe uma maneira de evitar tudo isto.”

PUB

Na semana de 21 a 27 de dezembro, uma média de 334 crianças com 17 anos ou menos foram admitidas diariamente em hospitais com covid-19, um aumento de 58% em relação à semana anterior, de acordo com os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças.

O último pico tinha sido no início de setembro, quando as hospitalizações de crianças eram em média 342 por dia.

Apesar destes valores, as crianças continuam a representar uma pequena percentagem das pessoas hospitalizadas com covid-19: uma média de mais de 9.400 pessoas de todas as idades foram admitidas por dia durante a mesma semana de dezembro. E muitos médicos dizem que os jovens que chegam agora estão menos doentes do que os internados durante a vaga da variante Delta no verão.

PUB
PUB
PUB

Dois meses depois de ser aprovada nos EUA a vacinação de crianças de 5 a 11 anos, cerca de 14% estão totalmente protegidos, mostram os dados do CDC. A taxa é mais alta para os jovens de 12 a 17 anos, cerca de 53%.

A questão é que para as crianças a vacina pode estar a chegar muito tarde, pois muitas só agora estão a receber a segunda dose. As próximas quatro a seis semanas serão difíceis, diz Paul Offit: “Este é um vírus que prospera no inverno”.

No geral, o número de novos casos em americanos de todas as idades dispararam para os níveis mais altos já registados: uma média de 300 mil por dia, ou seja, mais do que duplicou o número em apenas duas semanas. A variante Ómicron, altamente contagiosa foi responsável por 59% dos novos casos na semana passada, de acordo com o CDC.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados