Jorge Vilda fala em injustiça e frisa: «Jamais aplaudirei algo machista»

6 set 2023, 00:09
Jorge Vilda (EPA/AARON GILLIONS)

Técnico abordou a saída da seleção feminina de Espanha, a recusa de Rubiales em demitir-se e do beijo que o dirigente deu a Jenni Hermoso após a conquista do Mundial

Jorge Vilda considerou que foi «injustamente» afastado do cargo de selecionador feminino de Espanha. O técnico abandonou esta terça-feira o cargo depois de ter aplaudido Rubiales no dicurso em que este último anunciou que não ia demitir-se e lhe propôs a renovação do contrato.

«Estou tão bem quanto posso estar depois de ter sido campeão do mundo, depois de ter renovado e depois de ter sido injustamente despedido», disse aos microfones da Cadena SER, durante a participação no programa «El Larguero»

«A explicação que recebi foi que iriam existir mudanças estruturais. Depois de tudo o que consegui, de ter deixado a pele como mais um trabalhador, estou de consciência tranquila. Dei cem por cento e não entendo. Acho que o meu despedimento foi injusto», reforçou.

O treinador defendeu que tinha forças para continuar no cargo. «Não estava à espera, tinha outra ideia. Havia esperança e a ilusão em função do bom tratamento que sempre recebi. Imaginava-me com forças para disputar a Liga das Nações e os Jogos Olímpicos... Motivava-me muito.»

Vilda explicou ainda os aplausos ao discurso de Luis Rubiales, no qual este se recusou a abandonar o cargo de presidente da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), e revelou que ambos não voltaram a falar desde esse dia.

«Nunca aplaudirei algo machista. Jamais vou aplaudir algo que vá contra a luta pela igualdade. Não sabia muito bem o que ia acontecer nessa Assembleia, pensávamos que iria haver uma desmissão. O presidente valoriza o teu trabalho e anuncia a renovação... foi o que eu aplaudi. Também aplaudi uma gestão com um orçamento que foi multiplicado por quatro. Quando 150 pessoas aplaudem, é difícil ser o único a não o fazer», justificou.

Por último, o ex-selecionador espanhol comentou o caso que deixou Rubiales nas bocas do mundo: o beijo a Jenni Hermoso durante a entrega das medalhas na final do Campeonato do Mundo. «

«No comunicado falo do gesto em palco durante a entrega das medalhas... conheço a Jenni desde os 16 anos. Evoluímos juntos no futebol. Fez um grande Mundial e sei que está a passar mal juntamente com a sua família. Ela está à espera que tudo isto passe. Não voltámos a falar, desliguei-me bastante do telefone, mas não gosto que ela esteja a passar um mau momento», referiu.

«Estamos em fila [na entrega das medalhas] e sou o penúltimo e nesse momento vejo o beijo de Rubiales. Quando vi as imagens fiquei surpreendido. Foi um ato impróprio. Na viagem de regresso, muitas das jogadoras estão a descansar. Há conversas com jogadoras, familiares... mas não peço a Jenni para aparecer e falar», acrescentou.

Relacionados

Patrocinados