CAN: inquérito aberto à tragédia nos Camarões e estádio interdito

25 jan, 14:36
Patrice Motsepe, presidente da Confederação Africana de Futebol, a CAF (Themba Hadebe/AP)

Olembe, que tem previsto receber a final, não vai receber o jogo previsto dos quartos de final. Em causa a debandada de adeptos à margem do Camarões-Ilhas Comores, que resultou já em oito mortos e 38 feridos

A Confederação Africana de Futebol (CAF) abriu, esta terça-feira, um inquérito «urgente» aos incidentes de segunda-feira no Estádio Olembé, em Yaoundé, e retirou o recinto do calendário dos jogos dos quartos de final da Taça das Nações Africanas (CAN2021).

«Vamos criar imediatamente uma comissão para investigar o que aconteceu e descobrir quem deveria ter feito o quê e quem não o fez. Vamos descobrir quem não cumpriu as obrigações. Esse relatório terá que estar concluído com urgência até sexta-feira», afirmou o presidente da CAF, Patrice Motsepe, em conferência de imprensa, nos Camarões.

Pelo menos oito pessoas morreram e 38 ficaram feridas numa debandada de adeptos na entrada do Estádio Olembe, na capital camaronesa, antes do início do jogo da CAN2021 entre Camarões e Comores, dos oitavos de final, que terminou com triunfo da seleção treinada pelo português António Conceição, por 2-1.

Num comunicado divulgado pela emissora estatal camaronesa, a CRTV, o ministro da Comunicação, René Emmanuel Sadi, disse que sete dos feridos se encontram em estado grave. O anterior balanço apontava para seis mortos.

«O encontro marcado para domingo no Estádio Olembe não se realizará e será disputado no Estádio Ahmadou Ahidjo, também em Yaoundé», divulgou o presidente da CAF, em alusão a um dos quatro jogos dos quartos de final da prova.

Com capacidade para 60 mil pessoas, embora esse número esteja limitado devido às medidas de combate à pandemia da covid-19, o Estádio Olembe é o principal recinto da CAN2021 e, depois de já ter recebido o jogo inaugural, tem agendado o encontro da final, a 6 de fevereiro.

Relacionados

Patrocinados