Giggs renuncia à seleção galesa ano e meio depois do afastamento

20 jun, 21:57
Ryan Giggs

Antigo futebolista enfrenta acusação de violência doméstica - que já o tinha afastado do Euro 2020 - e vai a julgamento em agosto

Ryan Giggs deixou oficialmente de ser o selecionador do País de Gales, cargo do qual de resto já estava afastado desde novembro de 2020 após ter sido detido e acusado de violência doméstica pela então namorada.

Em comunicado emitido nesta segunda-feira à noite, a glória do Manchester United deu conta da renúncia imediata do cargo e justificou-se: «Não quero que a preparação do país para o Mundial seja afetada, desestabilizada ou prejudicada de forma continua pelo continuado interesse à volta deste caso. Tive a felicidade de ter podido desfrutar de alguns inesquecíveis momentos durante os meus três anos à frente da seleção nacional», disse.

O julgamento de Ryan Giggs, que entretanto foi substituído por Robert Page - que orientou a equipa galesa no Euro 2020 e apurou este país para o primeiro Mundial em 64 anos - deveria ter começado em janeiro deste ano, mas foi adiado para agosto, estando previsto começar a 8 de agosto, três meses antes do Mundial do Qatar.

Em resposta ao comunicado de Giggs, a Federação Galesa de Futebol disse estar grata pela decisão tomada pelo ex-futebolista e que diz ir ao encontro «dos melhores interesses do futebol galês».

Relacionados

Patrocinados