Polícia britânica abre investigação às revelações de Mo Farah

14 jul, 13:27
Mo Farah (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Campeão olímpico confessou que chegou ao país de forma ilegal e foi forçado a trabalho escravo quando era criança

A polícia britânica anunciou, nesta quinta-feira, a abertura de uma investigação às recentes revelações do fundista e campeão olímpico Mo Farah, que declarou ter chegado ilegalmente ao Reino Unido enquanto criança e ter sido forçado a trabalho escravo.

«Estamos ao corrente das informações divulgadas pela comunicação social sobre Mo Farah», disse a polícia de Londres.

«Agentes especializados abriram um inquérito e estão neste momento a analisar toda a informação disponível», acrescentaram as autoridades.

Lembre-se que num documentário da BBC, que foi para o ar na íntegra na última quarta-feira, Mo Farah, que sempre disse ter vindo para Inglaterra com os seus pais, desde a Somália, confessou que afinal veio do Djibuti, aos nove anos, com uma mulher que não conhecia, que lhe atribuiu o nome de Mo Farah e que o obrigou a cuidar dos filhos de outra família.

«Durante anos fui mantido em cativeiro. Estive anos preso», confessou, tendo revelado que o seu verdadeiro nome é Hussein Abdi Kahin e que não pôde ir à escola até aos 12 anos, altura em que se matriculou no sétimo ano no Feltham Community College, tendo os funcionários sido informados de que era refugiado da Somália.

Na segunda-feira, o governo britânico garantiu que não vai processar o detentor de quatro títulos olímpicos, seis mundiais e quatro europeus, condecorado pela rainha em 2017.

Relacionados

Patrocinados