VÍDEO: Haaland bisa, Ortega vira herói e o Man. City tem uma mão no título

14 mai, 22:07
Erling Haaland, Kyle Walker e Bernardo Silva festejam o 2-0 do Manchester City ante o Tottenham (AP/Kin Cheung)

Triunfo por 2-0 na visita ao Tottenham vale subida à liderança, antes da última jornada. Resultado confirma Aston Villa na Champions

Há golos que valem campeonatos. E defesas também. Heróis, à partida, prováveis. Outros improváveis. E o Manchester City está cada vez mais perto de novo título na Premier League.

Num estádio onde tinha perdido nas últimas quatro deslocações para o campeonato e sem ter marcado qualquer golo, a equipa treinada por Pep Guardiola conseguiu uma vitória de campeão ao bater o Tottenham por 2-0, confirmando a subida à liderança antes da última jornada, com 88 pontos, para 86 do Arsenal.

Haaland, com um bis, foi decisivo. Mas também (quem diria), Ortega, com três intervenções cruciais – a última delas a Heung-min Son vai para os livros deste campeonato – depois de ter rendido Ederson (cuja reação perante Guardiola ao ser substituído após um choque perigoso com Romero promete correr mundo). Também a reação de Guardiola à enorme defesa do alemão vai ficar para o filme desta época. Imperdível!

Contas feitas, além da liderança do City com mais dois pontos do que o Arsenal, o Aston Villa vê confirmado o 4.º lugar e garante o acesso à Liga dos Campeões mais de 40 anos depois e o Tottenham vai jogar a Liga Europa em 2024/25. Mantém o 5.º lugar, com 63 pontos.

Primeira parte morna com Dragusin a fazer de guarda-redes na cara de Bernardo

Nos primeiros minutos houve logo uma ocasião de golo para cada lado. Aos seis minutos, Ederson mostrou-se em bom plano com uma defesa junto ao ferro para negar o golo a remate de Hojbjerg. Aos oito minutos, Kevin de Bruyne quase marcou após passe de Walker, mas o lance acabou invalidado por fora-de-jogo do lateral.

O City estaria perto do golo novamente ao minuto 16, mas valeu Vicario: Hojbjerg fez um mau alívio na área, Foden ficou com a bola e o guarda-redes defendeu, mantendo o 0-0, que esteve muito perto de ser desfeito em cima do descanso. Porém, Dragusin fez de Vicario e, com um grande corte de cabeça, evitou a festa do português Bernardo Silva.

A segunda parte começou com mais uma oportunidade para o City, mas Vicario esteve de novo em evidência, voando para negar o 1-0 a Kevin de Bruyne (47m). Porém, a equipa de Pep Guardiola chegou à vantagem pouco depois, com Haaland a inaugurar o marcador. Tudo começou numa fuga de Phil Foden pela esquerda, o inglês cruzou e a bola foi ter ao lado contrário para Bernardo Silva, que esperou a entrada de Kevin de Bruyne nas costas do lateral e o belga cruzou rasteiro para o desvio do norueguês.

Da saída irritada de Ederson ao improvável herói Ortega

Já com 1-0, Bentancur foi protagonista de uma reação de nítido descontentamento ao ser substituído na equipa do Tottenham: coitado do banco em que se sentou, que levou três fortes pontapés e ficou em mau estado, face à frustração do uruguaio. Pouco depois, Ederson chocou com Cristián Romero aos 61 minutos, após defender um cruzamento na área, quando o central do Tottenham tentava, ao mesmo tempo, o desvio ao segundo poste.

O susto tomou então conta dos jogadores, elementos no banco e adeptos, Ederson foi substituído, afirmou a colegas, equipa médica e jogadores estar bem. Porém, minutos depois, Pep Guardiola – num misto de prudência e precaução – tirou o brasileiro… que não gostou de sair. «Estou bem, porra», foi possível perceber pela leitura labial de Ederson. Ao chegar ao banco, recebeu palavras de explicação de Guardiola, continuou irritado e pontapeou mesmo uma das arcas, antes de sentar-se com um ar agastado.

O que é certo é que Ortega foi, sem dúvida e por fim – talvez a par de Haaland - um dos dois principais responsáveis pela vitória do City. Já depois de duas intervenções decisivas perante Kulusevski, não houve duas sem três e, após uma perda de bola proibida de Akanji que permitiu a Heung-min Son isolar-se, o alemão evitou o 1-1 ao sul-coreano.

E, por fim, a frieza de Haaland

Depois dos sustos, o Manchester City descansou à entrada para os dez minutos de compensação. Phil Foden fez um passe longo que deixou Jérémy Doku no um para um com Porro e o espanhol fez falta para um penálti que Erling Haaland não desperdiçou.

Aos 90+1m, o norueguês bisou, com um remate de baixo para cima a enganar Vicario para o 2-0 com que terminou a partida. No festejo, a calma (e a frieza) de Haaland, perante a loucura de Bernardo, Foden e companhia.

Na última jornada, agendada para o próximo fim de semana, o Manchester City recebe o West Ham. O Arsenal também joga em casa, ante o Everton. Já o Tottenham visita o Sheffield United.

Relacionados

Patrocinados