Chelsea à venda: lista de interessados está a fechar, com um português

19 mar, 10:09
Roman Abramovich

Prazo formal para apresentação de ofertas terminava nesta sexta-feira

O processo de venda do Chelsea vai acelerar nos próximos dias. 

O prazo formal para apresentação de propostas terminou nesta sexta-feira, embora a imprensa britânica admita que as ofertas finais possam dar entrada apenas este fim de semana. A lista final deverá ser anunciada na próxima semana.

Nesta altura o clube londrino não pode ser vendido, por força das sanções impostas pelo governo britânico ao atual proprietário, o russo Roman Abramovich, por causa da guerra na Ucrânia. Em todo o caso existe a perspetiva de que seja emitida uma nova licença que permita a venda, assim que for selecionada uma das propostas.

A expectativa é de mais de uma dezena de propostas na lista final, e a BBC fez uma lista das mais conhecidas:

- um consórcio liderado por Sir Martin Broughton, antigo presidente do Liverpool, e Lord Coe, antigo campeão olímpico e depois presidente do Comité Organizador de Londres 2012;

- a família Ricketts, dona dos Chicago Cubs, clube da Liga norte-americana de basebol;

- consórcio liderado pelo bilionário suíço Hansjorg Wyss e pelo empresário americano Todd Boehly, aos quais se juntaram depois Barbara Charone, assessora de artistas musicais, o empresário britânico Jonathan Goldstein e o jornalista Daniel Finkelstein.

- a empresa Aethel Partners, estabelecida em Londres mas liderada pelo português Ricardo Santos Silva;

- o milionário britânico Nick Candy, apoiado por Gianluca Vialli, antigo internacional italiano do Chelsea;

- para além disso foram admitidas propostas de Josh Harris, dono dos Philadelphia 76ers, da NBA, o dono dos New York Jets, Woody Johnson, e ainda um consórcio saudita.

Patrocinados