«Quem atirou a garrafa foi detido, o jogo poderia ter sido retomado»

21 nov 2021, 23:47

As palavras do presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, após a suspensão do Lyon-Marselha

Ao contrário do homólogo do Marselha, o presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, considera que o jogo entre as duas equipas deveria ter sido retomado. Lembre-se que o árbitro suspendeu a partida depois de Payet ter sido atingido por uma garrafa atirada da bancada nos primeiros minutos.

«A garrafa atirada ao Payet criou uma situação incrível. As forças de segurança reagiram de imediato e o autor foi detido. Foi um ato levado a cabo por um indíviduo que não tem qualquer ligação ao grupo de adeptos do Lyon. Imaginámos que o jogo poderia ter sido retomado. O árbitro decidiu retomar o jogo, mas depois de conversar com os jogadores do Marselha, que reagiram mal e exigiram que este fosse saber como estava o Payet», começou por dizer, citado pelo L'Équipe. 

«Estamos desvastados com o que aconteceu. O médico disse-me que, mais do que estar magoado, o Payet tinha medo. De seguida, o Mr. Buquet [o árbitro] pediu para falar com a prefeitura e alterou a decisão. É incompreensíve. (...) Somos um clube organizado no que diz respeito à segurança. E como o autor já estava detido, era possível ter recomeçado o jogo sem qualquer problema. Não havia qualquer risco», acrescentou. 

O líder do clube no qual joga o português Anthony Lopes frisou que o encontro deveria ter sido retomado.

«Todos os dias, num grande número de jogos, existem incidentes. Tentamos sempre fazer o melhor possível. Acreditem em mim, o jogo poderia ter sido retomado sem problemas. Sanções? Vamos ver. A segurança é fulcral. Mostrámos que somos um clube muito bem organizado, o que significa que não era necessário ter suspendido o encontro», sublinhou. 

Relacionados

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Patrocinados