«Não tínhamos o talento de João Félix, mas morríamos em campo»

28 dez 2021, 10:25
Junior Barranquilla-Flamengo (AP)
Junior Barranquilla-Flamengo (AP)

Filipe Luís recordou passagem pelo At. Madrid e assume que «até tinha medo de dar bom dia» a Simeone

PUB

Vencedor de duas Liga Europa com o At. Madrid, Filipe Luís também chegou por duas ocasiões à final da Liga dos Campeões com a camisola dos colchoneros. O lateral brasileiro estabeleceu algumas diferenças entre os anos que viveu no emblema madrileno e o atual momento do clube, com uma referência a João Félix.

«Alguns de nós naqueles anos podiam não ter o talento do João Félix, mas morríamos em campo. Morríamos uns pelos outros», disse, em entrevista à Cadena SER.

PUB

«É muito difícil falar de fora. Faltam resultados para se voltarem a encontrar em campo. Vi jogadores com pouca confiança, a cometer erros e que não se sentem sólidos», atirou, face aos maus resultados da equipa no campeonato espanhol.

O jogador brasileiro falou ainda do estilo de jogo de Diego Simeone, a quem deixou alguns elogios.

«Hoje em dia, ser jogador do Atlético é mais valorizado, está cada vez mais difícil fazer parte do plantel. Tudo graças ao Cholo», começou por dizer.

«Hoje, posso ter uma relação mais próxima com ele do que quando era jogar, porque até tinha medo de lhe dar bom dia. Teve impacto na minha vida. Fez-me ser melhor tanto dentro como fora de campo. Conheço-o como se fosse meu pai. Havia jogos em que me dizia para não atacar e pensava que não iria à seleção por jogar assim. Após muitos treinos e muitos conceitos [táticos], entendes que tens de jogar para a equipa», finalizou.

PUB
PUB
PUB

Filipe Luís passou oito temporadas no At. Madrid. Desde 2019, alinha no Flamengo, onde conquistou uma Taça Libertadores e o Brasileirão com Jorge Jesus ao comando.

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Patrocinados