O que compram os 125 euros de Costa? Para já, muitos memes

6 set, 14:15
António Costa

É a medida mais marcante, pelo menos na Internet: o cheque de 125 euros. Há os que criticam, dizendo que sabe a poucochinho. E há os que, mesmo sabendo que não dá para muito, mal podem esperar pelo dia em que o dinheiro vai cair na conta. Pelas redes sociais espalhou-se o humor: uma medida sem preço contra a inflação

Os 125 euros só caem na conta em outubro (para quem recebe até 2700 euros mensais) mas há quem pareça já ter recebido. É que o primeiro-ministro, dizem as redes sociais, é adepto da tecnologia e das transferências instantâneas.

Mas para que nada falhe, António Costa terá passado a noite no terminal Multibanco a aviar transferências. Pela expressão, satisfeito com o pacote que apresentou ao país.

Marcelo Rebelo de Sousa foi rápido a reagir. O Presidente da República queria um pacote “mais ambicioso”. Mas, antes de partir de viagem para o Brasil, brincam os internautas, fez questão de ir levantar os seus 125 euros (que, tendo em conta o seu salário, não tem direito).

Por pouco que possa ser ou parecer, as redes sociais entraram em rebuliço com a medida. Há quem já se veja rico em outubro – por muito que esteja a gozar.

E uma das perguntas que se impõe é: onde vai gastar os 125 euros? Se a roupa pode ser uma necessidade básica, há quem capriche e queira investir no equipamento do clube favorito.

Surgem também os mais contidos, como a sempre presente Anita (e não Martine), que já estudam as opções de conta poupança.

Com a conta do supermercado a subir, no Twitter - onde a medida virou tendência - também se pensa nas ementas que 125 euros podem pagar. A avaliar por este prato, vai ser servida muita criatividade.

Os sonhos comandam a vida. E pesquisar no Google, por agora, não se paga. O mesmo não se pode dizer das mansões em Vale do Lobo. Mas com um extra de 125 euros fica-se (um bocadinho) mais perto do objetivo.

Nas últimas semanas, o país revelou também a sua faceta melómana. Os bilhetes para os concertos de Coldplay e Harry Styles voaram em horas. Se vier outra estrela internacional atuar em Portugal, avisa a Internet, é provável que os 125 euros vão lá parar.

O Twitter também não esquece as tricas políticas e faz as contas. Quantos cheques de 125 euros daria o salário que Fernando Medina iria pagar a Sérgio Figueiredo como consultor. Mas, não saindo do imaginário do Ministério das Finanças, surge outro protagonista: o ex-ministro Mário Centeno e as suas célebres cativações.

Se os 125 euros forem convertidos em notas, mesmo na de valor mais pequeno, não dão mais do que 25 pequenas folhas de papel. Mas há quem se imagine a perder longos minutos a contar dinheiro.

Na ironia e no sarcasmo, o Twitter é quem ganha mais. O que podem comprar 125 euros? Novos estilos de vida, futuristas. Ou então uns dias sem levar marmita para o trabalho.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados