Governo espanhol dá cheque de 200 euros a famílias vulneráveis e baixa IVA dos alimentos

ECO - Parceiro CNN Portugal , Jéssica Sousa
27 dez 2022, 17:18
Pedro Sánchez (Lusa/EPA)

Governo de Sánchez decidiu prolongar as medidas de apoio à inflação, anunciando atribuição de um cheque de 200 euros às famílias vulneráveis e a redução para 0% do IVA de alguns alimentos básicos

O Governo espanhol anunciou um reforço de 10.000 milhões de euros ao pacote de medidas para mitigar o impacto da inflação, elevando o total para 45 mil milhões de euros. A atribuição de um cheque de 200 euros às famílias mais vulneráveis e uma redução para 0%, durante seis meses, do IVA sobre produtos alimentares de primeira necessidade, são algumas das novas medidas aprovadas esta terça-feira em Conselho de Ministros.

“Estamos a disponibilizar 45 mil milhões para proteger o nosso país e os nossos cidadãos face ao aumento do custo de vida“, afirmou Pedro Sánchez esta manhã, durante o seu tradicional discurso de fim de ano, no Palácio Moncloa.

O decreto prevê a extensão de algumas medidas já em vigor, tais como a redução do IVA sobre o gás e eletricidade para 5%, os bilhetes de comboios gratuitos, mas também a implementação de algumas medidas novas, tais como a atribuição de um cheque de 200 euros às famílias com um rendimento inferior a 27.000 euros por ano ou uma redução de 4% para 0%, durante um semestre , do IVA sobre alimentos de primeira necessidade, nomeadamente, pão, farinha, leite, queijo, ovos, fruta, legumes, leguminosas, batatas e cereais, avança o Cínco Dias. Já o IVA sobre o azeite e a massa será reduzido de 10% para 5%, igualmente por seis meses.

Quanto à habitação, o Governo espanhol decidiu congelar as rendas até metade do próximo ano. Mas, no que toca aos combustíveis, o apoio de 20 cêntimos por litro sobre preço de venda ao público terminará já no próximo dia 31 de dezembro, tal como previsto. Os pormenores de como será retirada essa ajuda ainda não foram divulgados, mas, de acordo com o Cínco Dias, a medida ficará reservada aos condutores profissionais, tais como transportadores, agricultores e criadores de gado.

Durante o seu discurso, Sánchez salientou que, desde o início da guerra na Ucrânia, a estratégia do Governo tem estado centrada em duas vertentes, seja a nível europeu — com a decisão de intervir no mercado energético ibérico, juntamente com Portugal, através da adoção do mecanismo de correção de preços do gás — seja a nível nacional, com a adoção de medidas para empresas e famílias para as ajudar a mitigar o impacto da crise inflacionista.

Tudo isto, considerou o primeiro-ministro espanhol, fez com que Espanha conseguisse ter “a inflação mais baixa da Zona Euro e os níveis mais altos de crescimento e emprego dos últimos 15 anos”, o que mostra que o país “está a crescer perante a adversidade”, frisou Sánchez.

Relacionados

Economia

Mais Economia

Patrocinados