"Acampamos e fechamos a ponte até sermos ouvidos". Assessora da ministra do Trabalho propõe ocupação da Ponte 25 de Abril em protesto

10 fev, 09:53
Inês Franco Alexandre (Instagram)

Nomeada agora em fevereiro, Inês Franco Alexandre admitiu, numa entrevista ao "A Minha Geração", que sempre disse que "nunca iria trabalhar no Governo". Assim como também disse que "nunca iria trabalhar no ministério"

Inês Franco Alexandre é a mais recente assessora da ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, segundo a sua página no LinkedIn. "Ativista" e "empreendedora" - como se descreve nas redes sociais - deu uma entrevista ao programa da RTP/Antena 3 "A Minha Geração", na qual sugeriu que se fechasse a ponte 25 de Abril, em Lisboa, num protesto pela habitação. 

Num vídeo no Instagram após a entrevista, Inês Franco Alexandre disse, entre risos, "temos de ir todos para a ponte 25 de Abril". "Acampamos todos (...) na própria da ponte e fechamos a ponte até sermos ouvidos", acrescentou. 

Enquanto fazia esta sugestão de ocupação, aproveitou para apelar a um patrocínio da marca Decathlon: "Ouçam isto, e se a Decathlon nos estiver a ouvir, precisamos deste patrocínio: tendas". Tendas para os manifestantes que iriam permanecer ao longo dos 2.277 metros de comprimento da ponte, uma vez que Inês Franco Alexandre disse que não ficariam "só à entrada".

A nova assessora explicou, neste vídeo realizado e publicado pela jornalista Diana Duarte, que sempre disse que "nunca iria trabalhar no Governo". Assim como também disse que "nunca iria trabalhar no ministério". Mas mudou de ideias e percebeu que "a mudança se faz dentro do sistema" e "é muito mais interessante a mudança ser de dentro para fora", ou, pelo menos, "muito mais efetiva". 

"Eu quero continuar a ser empreendedora dentro do mundo da política. Isso é mega importante e continuar a ter voz", acrescentou. Questionada sobre se algum dia poderá vir a ser ministra, responde: "Não sei... Eu acho que preciso de passar por esta experiência para conseguir perceber se este contexto é a minha praia ou não". A CNN Portugal tentou contactar Inês Franco Alexandre, mas não foi possível até ao momento.

Contudo, durante a entrevista propriamente dita, no minuto 44:30, a assessora admite que a sociedade civil pode 'usar' esse acampamento como "parte da resposta". "Eu acho sempre que fazer barulho é parte das respostas, mas temos de ser inteligentes na forma como o fazemos. De forma organizada, segura e acima de tudo output muito prático", declarou. 

Esta polémica surge numa altura em que o Governo vai anunciar um novo "mecanismo permanente de apoio à renda" para famílias com quebras de rendimentos. Uma notícia avançada pelo Expresso na edição desta sexta-feira. Segundo o semanário, a medida vai fazer parte do novo pacote legislativo sobre habitação que o Governo se prepara para aprovar na quinta-feira da próxima semana, dia 16 de fevereiro, e que visará inclusivamente o fim dos vistos gold. O objetivo do executivo, com este novo apoio às rendas, é garantir, segundo o Expresso, que nenhum jovem ou família fica sem capacidade para pagar uma renda no caso de quebra abrupta de rendimentos, seja por desemprego, divórcio ou doença.

Relacionados

Governo

Mais Governo

Patrocinados