Saúde mental: há cada vez mais jovens a pedir ajuda ao INEM e os casos são também mais graves

18 jan, 08:23
Escola

REVISTA DE IMPRENSA | Suicídios, tentativas de suicídio, agressões, depressões, crises de ansiedade e dificuldades em controlar emoções são os casos mais comuns e continuam a aumentar a ritmo alarmante entre os jovens

Nota do editor: se você ou alguém que conhece estiver a lutar com pensamentos suicidas ou questões de saúde mental, por favor ligue para a linha de crise Voz Amiga 213 544 545 | 963 524 660, para a linha SNS24 808 24 24 24 ou para o 112, ou consulte o site prevenirsuicidio.pt. Encontrará mais contactos e apoios no final deste texto.

A morte repentina de familiares, a guerra da Ucrânia ou a crise económica são alguns dos gatilhos mais comuns por trás das crises psíquicas. Em 2022, o INEM reencaminhou para o Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC) 20.614 chamadas, em média são mais de 55 pedidos de ajuda por dia. Nos jovens a situação agrava-se: só até abril, o CAPIC recebeu quase 600 ligações de emergência relacionadas com crianças e jovens com menos de 20 anos.

De acordo com o Jornal de Notícias, do total de ligações, 8.920 chamadas motivaram a intervenção de psicólogos, ou seja, cerca de 25 por dia em média.

Sónia Cunha, responsável pelo CAPIC entrevistada pelo JN, lembra que em 2021 houve mais pedidos de ajuda - 22.142 chamadas -, mas realça que a gravidade dos casos tem vindo a agravar-se, sobretudo, entre os mais jovens.

Os jovens não são quem mais pedem ajuda, mas são o grupo onde o número de chamadas mais aumentou. Entre os dez e os 19 anos, registou-se um crescimento de 52% dos pedidos de ajuda que chegaram ao CAPIC, de acordo com os dados até abril que são os últimos disponíveis.

O JN revela também que as equipas de unidades móveis de intervenção psicológica de emergência, acionadas pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), foram acionadas para responder a 1.425 ocorrências, menos sete intervenções do que em 2021, sendo que, em 2020, tinham sido 808 e, em 2019, fixaram-se nas 547.

Os casos de suicídios e tentativas de suicídio estão a aumentar, as agressões também, tal como as depressões, crises de ansiedade, dificuldades em controlar emoções. Os pedidos de ajuda são mais e a situações reportadas pelos jovens são cada vez mais graves.

Contactos, informações e apoios

Para informações, ajudas, contactos consulte o site da Campanha Nacional de Prevenção do Suicídio em prevenirsuicidio.pt.

Linhas de apoio:

SOS VOZ AMIGA
15:30 – 0:30
213 544 545 | 912 802 669 | 963 524 660

TELEFONE DA AMIZADE 
16:00 – 23:00
222 080 707

CONVERSA AMIGA
15:00 – 22:00
808 237 327 | 210 027 159   

VOZ DE APOIO
21:00 – 24:00
225 506 070
Email: sos@vozdeapoio.pt

VOZES AMIGAS DE ESPERANÇA DE PORTUGAL
16:00 – 22:00
222 030 707   
 

Sociedade Portuguesa de Suicidologia www.spsuicidologia.com

Perguntas e respostas:

Alguém próximo de mim morreu por suicídio – leia aqui

Estou preocupado/a com alguém - Leia aqui

Fiz uma tentativa de suicídio – Leia aqui

Tenho pensamentos de suicídio – Leia aqui

Tenho pensamentos de suicídio – Leia aqui

Mais contactos e serviços disponíveis aqui

Saúde Mental

Mais Saúde Mental

Patrocinados