Saiba tudo sobre o Euro aqui

Técnicos de emergência médica denunciam atrasos no atendimento com 50 chamadas em espera

Agência Lusa , CM
3 jun, 17:36
Ambulância do INEM (Getty)

ANTEM fala em "várias anomalias por parte da resposta da responsabilidade do INEM"

A Associação Nacional dos Técnicos de Emergência Médica (ANTEM) denunciou esta segunda-feira “graves constrangimentos” na resposta de socorro, com mais de 50 chamadas em espera e atrasos de atendimento de entre 10 e 15 minutos.

“Hoje, à semelhança de outras ocasiões, verificaram-se atrasos no atendimento na ordem dos 10 a 15 minutos. Verificaram-se graves constrangimentos de cerca de 50 chamadas em espera para serem atendidas, triadas, aconselhadas e despachadas”, alertou a associação em comunicado.

Segundo a ANTEM, que tem denunciado “várias anomalias por parte da resposta da responsabilidade do INEM”, este tipo de atrasos “configura uma prática recorrente de mau serviço prestado ao cidadão, colocando a saúde dos portugueses em risco e, de igual modo, o direito à vida”.

No comunicado, a associação reiterou que deve ser criada uma comissão parlamentar de inquérito ao serviço de socorro prestado pelo instituto responsável por coordenar o funcionamento do Sistema Integrado de Emergência Médica em Portugal continental.

O pedido para que seja constituída uma comissão de inquérito para investigar as causas dos atrasos e as suas consequências tem sido recorrente, com a ANTEM, em 2023, a alertar que o modelo de socorro em funcionamento em Portugal “está esgotado, sem capacidade de responder adequadamente e condenado ao fracasso”.

A Lusa pediu ao INEM uma reação sobre os alegados atrasos no atendimento denunciados hoje pela ANTEM e aguarda resposta.

País

Mais País

Patrocinados