VÍDEO: futebolistas de 10 anos vão a jogo debaixo de temporal e com aviso laranja

9 jan, 17:44

Árbitros da Associação de Futebol do Porto concluíram 270 dos 312 jogos calendarizados na manhã de sábado, dos escalões de sub-7 aos sub-13, mesmo sob um dilúvio, com campos alagados e alertas da Proteção Civil

Dilúvios, enxurradas e rajadas de vento forte provocaram situações de caos no Norte do país e em particular no Grande Porto durante o fim de semana. No entanto, mesmo com um alerta laranja no distrito desde as 6 horas da madrugada de sábado, muitos jovens atletas foram obrigados a ir a jogo por ordem dos árbitros dos respetivos encontros em campos alagados e sob chuva intensa nas competições federadas da Associação de Futebol do Porto (AF Porto), a maior do país, mas também da AF Braga e AF Viana do Castelo, sob o mesmo grau de alerta.

Ao contrário dos jogos dos graúdos, nas Ligas profissionais, em que o facto de a bola não rolar devido ao alagamento do campo de jogo justifica a interrupção imediata do jogo, neste sábado, em condições em tudo semelhantes, crianças dos 6 aos 12 anos tiveram de se manter em campo e jogar futebol, sob pena de perderem o jogo na secretaria e os clubes serem multados.

No caso concreto dos vídeos acima associados, captados num Coimbrões-Academia Sporting de Gaia, do campeonato de sub-11, houve protestos vindos das bancadas e até pedidos dos jovens jogadores para que o jogo fosse interrompido. Sem qualquer efeito, tal como aconteceu em praticamente todos os outros encontros.

Contactado pelo Maisfutebol, o presidente da AF Porto, José Manuel Neves, remeteu o esclarecimento para o diretor de competições.

«Durante o período em causa realizaram-se 312 jogos de futebol e futsal dos escalões de sub-7 aos sub-13, sendo que, destes, 42 não se concluíram ou nem sequer chegaram a iniciar-se», afirmou Pedro Cortez ao nosso jornal, sublinhando este responsável que «quem avalia se o jogo se deve realizar ou não é o árbitro». Em alternativa, de acordo com os regulamentos, também a associação de futebol pode determinar o adiamento do jogo, se antecipar um sério agravamento do estado meteorológico de forma proativa e em consonância com os alertas das autoridades.

Segundo os dados solicitados pelo Maisfutebol e fornecidos pela associação, no passado sábado os árbitros entenderam haver condições para realizar 270 jogos, 86,5 por cento do total.

A título de exemplo, consultando o portal de resultados da Federação Portuguesa de Futebol, todos os 60 jogos calendarizados no campeonato de sub-11 acabaram por se realizar, mesmo sob as condições climatéricas muito rigorosas que se viveram na manhã de sábado e que levaram ao alerta à população por parte da Proteção Civil.

No domingo, a AF Porto publicou nas suas páginas oficiais de Instagram e Facebook um vídeo de um jogo de crianças disputado sob um temporal forte no campo do Aldeia Nova com a descrição: «Imagens notáveis do poder do jogo.»

Esta publicação [em baixo] motivou alguns comentários de apoio, mas sobretudo gerou reações de indignação, com encarregados educação a salientarem a falta de segurança e o risco para a saúde de jovens e crianças, pelo facto de ter sido permitida a realização de jogos destes escalões sob condições climatéricas particularmente severas.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados