Incêndios: Portugal entra em situação de alerta às 00:00. Saiba o que é proibido a partir de amanhã

CNN Portugal , BMA/ AG
7 jul, 22:41

Viseu, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco e Santarém são os seis distritos em alerta laranja, enquanto os restantes 12 vão estar em alerta amarelo

A situação de alerta decretada pelo Governo devido ao “significativo aumento do risco de incêndio rural” começa às 00:00 desta sexta-feira e vai prolongar-se até ao dia 15 de julho, de acordo com informação avançada esta quinta-feira pela Proteção Civil.

“Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, que apontam para um significativo agravamento do risco de incêndio rural, os ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, da Saúde, do Ambiente e Ação Climática e da Agricultura e da Alimentação determinaram hoje a declaração da situação de alerta em todo o território do continente”, refere o comunicado do Ministério da Administração Interna (MAI).

Segundo o MAI, a situação de alerta, nível mais baixo de resposta a situações de catástrofes prevista na Lei de Base da Proteção Civil, tem término previsto para as 23:59 de dia 15 de julho.

Proibições que entram em vigor

1) Acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;  

4) Realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal;

5) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas.

O MAI sublinhou que, nos próximos dias, será aumentado o nível de prontidão das equipas de resposta das entidades com especial dever de cooperação nas áreas das comunicações (operadoras de redes fixas e móveis) e energia (transporte e distribuição) e a GNR vai realizar ações de patrulhamento e fiscalização aérea nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo.

De acordo com o Governo, os bombeiros voluntários que trabalhem no setor público ou privado têm dispensa de serviço ou justificação das faltas.

Os distritos de Viseu, Vila Real, Bragança, Guarda, Castelo Branco e Santarém são os seis distritos em alerta laranja, enquanto os restantes 12 vão estar em alerta amarelo, o terceiro mais elevado.

Proteção Civil faz apelo aos portugueses e deixa recomendações

A Proteção Civil lembra as condições climatéricas especialmente adversas, como o calor, pedindo às pessoas que tenham comportamentos adequados, nomeadamente na utilização de fogueiras ou brasas para cozinhar perto de áreas florestais: "Afastem-se dos espaços florestais e, se verificarem uma coluna de fumo, dêem o alerta pelo 112".

Contamos com todos para mantermos o nível de ignições reduzido. Contamos com todos os portugueses para manter ignições no nível mais reduzido possível. Um Portugal sem fogos depende de cada um de nós”, afirmou o comandante André Fernandes, coordenador da Proteção Civil.

País

Mais País

Patrocinados