A lista de todos os “incêndios extremos” que já ocorreram este ano no mundo. Dois foram em Portugal

Agora

Só no incêndio na província de Corrientes, na Argentina, foram consumidos mais de 2,2 milhões de hectares de floresta

Os “incêndios extremos” foram em tempos eventos raros e esporádicos que se têm vindo a tornar cada vez mais frequentes ao longo dos últimos anos.

Só em metade de 2022, fogos florestais já consumiram vários hectares de vegetação, cidades, casas e até pessoas e estes são números que tendem a aumentar perante as alterações climáticas.

A agência Reuters formulou uma lista de todos os “incêndios extremos” já registados na superfície terrestre em 2022.

NOTA: neste contexto, considerou-se “incêndio extremo” todo o fogo que consumiu mais de mil hectares de área

 

América do Sul

Argentina

Corrientes – Os fogos florestais na província de Corrientes, perto da fronteira com o Paraguai, começaram no dia 7 de fevereiro e dizimaram mais uma área florestal com mais de 2,2 milhões de hectares, que representa 12% da região. O incêndio matou vários animais como capivaras, lobos, jacarés, veados e outras espécies.

 

EUROPA

Portugal

Murça – O incêndio florestal teve início no dia 17 de julho, nesta localidade do norte do país, e propagou-se na direção de Vila Pouca de Aguiar e Carrazedo de Montenegro. O fogo afetou cerca de 14.800 hectares, de acordo com o Programa de Observação da Terra da União Europeia, Copernicus. Um casal de idosos foi encontrado morto no interior de um carro queimado.

Ourém – Vários focos de incêndio tiveram origem no dia 7 de julho, na fronteira entre os distritos de Leiria e Santarém. Mais de 7.413 hectares foram dizimados pelas chamas e as autoridades foram mesmo obrigadas a cortar a mais importante autoestrada do país (A1), bem como outras estradas regionais. Depois disso, a A1 já foi cortada no passado fim de semana devido a um novo incêndio no norte de Portugal.

 

França

Gironde – Dois incêndios deflagaram nesta região no sudoeste de França – situada na costa atlântica -, no dia 12 de junho. Os fogos, alimentados pela vegetação seca e as temperaturas elevadas de 42,6 graus, queimaram um total de quase 47.700 hectares, até ao dia 19 de julho. Cerca de 34 mil pessoas tiveram de ser retiradas.

 

Espanha

Zamora – Perante a onda de calor recorde que atinge a Europa, as chamas deflagraram nesta província espanhola, no dia 15 de junho. O incêndio consumiu pelo menos 61 mil hectares e mais de 6 mil pessoas receberam ordem de evacuação, em 32 vilas. Duas pessoas morreram e três ficaram feridas.

Sierra Bermeja – O fogo teve início no dia 8 de junho na província de Málaga e propagou-se até à Sierra Bermeja. Destruiu cerca de 8.600 hectares de floresta, levou à retirada de 2 mil pessoas da cidade vizinha de Benahavis. Três bombeiros ficaram feridos.

 

Turquia

Mugla – No dia 13 de julho, um fogo começou na província e propagou-se até uma área habitada. Cerca de 17 casas e 1.800 hectares foram consumidos. Quase 450 casas foram evacuadas, eram a residência de 3.530 pessoas.

 

AMÉRICA DO NORTE

Estados Unidos

California – As chamas deflagraram no Parque Nacional de Yosemite, no dia 8 de julho, que alberga algumas das maiores e mais antigas sequoias gigantes do mundo. O fogo queimou 3.772 hectares de acordo com as autoridades dos EUA. Nenhuma das árvores gigantes mais relevantes foi consumida.

Arizona – No dia 17 de abril, as chamas deflagraram na Floresta Nacional de Coconino, naquele que ficou conhecido como o incêndio de Pipeline. O fogo destruiu mais de 20 mil hectares e obrigou à evacuação de 2.100 residências.

Novo México – O fogo teve origem na fronteira entre os condados e San Miguel e Santa Fe e foi o maior incêndio alguma vez registado na região. Dois fogos lavraram começaram nos dias 6 e 19 de abril, e consumiram 341.735 hectares, de acordo com o relatório das autoridades dos EUA, datado de 15 de julho. Até dia 19 de julho, as chamas estavam controladas em 93%.

California (Big Sur) – As chamas lavraram entre os dias 21 e 24 de janeiro na região conhecida como Big Sur, no estado da California. Forma dizimados mais de 1.050 hectares de área e 500 pessoas receberam ordem de retirada.

 

Canadá

British Columbia - O incêndio deflagrou no dia 14 de julho, nos arredores da via de Lytton, em British Columbia. No dia seguinte, já tinham sido consumidos cerca de 2 mil hectares de floresta. 24 propriedades receberam ordem de evacuação.

 

ÁFRICA

Marrocos

Região de Taza – Vários focos de incêndio começaram no dia 13 de julho nas províncias de Larache, Quezzane e Tetouan, no norte e sudeste do país. Cerca de 4 mil hectares foram consumidos pelas chamas, que atingiram várias casas e mataram pelo menos uma pessoa, como avançou a France24.

 

ÁSIA

Coreia do Sul

Condado de Uljin – As chamas deflagraram no dia 4 de março na região costeira no leste do país, situada perto da Central Nuclear de Hanul. O fogo propagou-se à cidade vizinha de Samcheo e consumiu mais de 14.800 hectares, de acordo com a agência Associated Press.

Relacionados

Patrocinados