Europa já bateu o recorde de área ardida este ano (e Portugal é um dos países mais afetados)

CNN Portugal , FMC
14 ago, 21:45
Incêndios (Lusa/Paulo Cunha)

Em termos do número de hectares ardidos, Espanha tem o maior número e Portugal ocupa o terceiro lugar. Se falarmos em percentagem de território ardido, Portugal está no topo

A pouco mais de metade do ano, os hectares queimados na União Europeia já atingiram um recorde absoluto. Os dados compilados pelo Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS) indicam que já arderam 657.988 hectares. 

A Europa tem sido, este ano, fortemente afetada por incêndios de grande dimensão. Ao longo do continente, a seca extrema, aliada a temperaturas muito elevadas e à fraca chuva, tem originado fogos de difíceis de controlar, deixando territórios nacionais com vastas áreas ardidas. Nos últimos meses, as imagens e relatos que chegam confirmam que o ano de 2022 está a ser marcado por chamas. 

Espanha lidera a tabela em termos absolutos, contando já com 261.930 hectares ardidos. Atrás encontra-se a Roménia com 150.528 hectares queimados. No pódio aparece ainda Portugal, atingindo o número 76.170 hectares ardidos, grande parte dos quais no incêndio que devastou o Parque Natural da Serra da Estrela. Segue-se França, que nos últimos dias tem sofrido graves incêndios que já devastaram 61.871 hectares.  

Em termos percentuais de área ardida, Portugal está no topo, com 0,80% de área ardida. Seguem-se Roménia (0,63%), Croácia (0,56%) e Espanha (0,52%).

Ainda assim, os números deste ano ficam aquém do que aconteceu no pior ano do país, em 2017. Os dados disponibilizados indicam que nesse ano, com um total de 408 fogos, arderam 563.532 hectares. Recorde-se que foi em 2017 que a tragédia de Pedrógão Grande chocou o país, num ano que terminou com a morte de mais de 100 pessoas em casos de incêndios.

Os recordes alcançados este ano são de conhecimento público graças às estatísticas que têm sido concretizadas desde 2006 pelo EFFIS, um dos componentes da Gestão de Serviços de Emergência do programa europeu Copernicus. 

 

 

Europa

Mais Europa

Patrocinados