Portugal em estado de alerta especial por causa dos incêndios até dia 15 de julho

7 jul, 19:11
Bombeiros combatem incêndio na Guarda (Miguel Pereira da Silva/Lusa)

Proteção Civil pediu ajuda a todos os portugueses e deixou várias recomendações

Portugal vai entrar esta sexta-feira em estado de alerta especial por causa do elevado risco de incêndios, num período que vai durar até dia 15 de julho, segundo a Proteção Civil.

Os distritos de Bragança, Castelo Branco, Guarda, Santarém, Vila Real e Viseu entram em alerta especial laranja já na meia-noite desta sexta-feira, altura em que os restantes distritos do continente ficam em alerta amarelo.

A Proteção Civil lembra as condições climatéricas especialmente adversas, como o calor, pedindo às pessoas que tenham comportamentos adequados, nomeadamente na utilização de fogueiras ou brasas para cozinhar perto de áreas florestais: "Afastem-se dos espaços florestais e, se verificarem uma coluna de fumo, dêem o alerta pelo 112".

“Contamos com todos para mantermos o nível de ignições reduzido. Contamos com todos os portugueses para manter ignições no nível mais reduzido possível. Um Portugal sem fogos depende de cada um de nós”, afirmou o comandante André Fernandes, coordenador da Proteção Civil.

No mesmo sentido, é pedido que se evitem trabalhos com máquinas agrícolas nas zonas de maior risco, uma vez que isso pode fazer aumentar o risco de incêndio.

A Proteção Civil reforçou o número de operacionais no dispositivo implementado com mais 535 pessoas, tendo ainda solicitado à GNR e ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas que aumente o grau de prontidão de dispositivos complementares.

“Maior vigilância e maior capacidade de intervenção face a um risco causado por uma situação meteorológica adversa”, prometeu André Fernandes.

Portugal conta esta quinta-feira com quatro incêndios de dimensão considerável: Sever do Vouga, Guarda, Carrazeda de Ansiães e Ourém. Fogos que mobilizam mais de mil operacionais, centenas de viaturas de apoio e vários meios áereos.

Marcelo pede colaboração

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apelou à colaboração de todos na prevenção de incêndios florestais nos próximos dias, para numa altura em que se esperam temperaturas acima de 35 graus Celsius.

Em declarações aos jornalistas em Mangualde, Marcelo Rebelo de Sousa congratulou-se pela decisão do ministro da Administração Interna “de avançar para o estado de alerta numa área significativa" do território, afirmando que "mais vale prevenir do que remediar”.

“Eu tenho na minha memória o que se passou noutros anos. Temos condições agora melhores para resposta mais rápida e mais eficiente, mas temos que ajudar todos porque, de facto, vão ser 10 dias ou 15 dias muito difíceis”, frisou.

País

Mais País

Patrocinados