Evitou-se uma "grande tragédia." Casas evacuadas e bombeiros feridos após incêndio em fábrica de produtos químicos em Gondomar

Agência Lusa , DCT, atualizado às 22:01
29 abr, 18:44

Autarca fala num incêndio "descontrolado", pelo que tiveram de ser retiradas de casa as pessoas que vivem num perímetro de cinco quilómetros

Um incêndio de grandes dimensões está a consumir uma fábrica de produtos químicos em São Cosme, em Gondomar, no distrito do Porto, revelou fonte da Proteção Civil, e chegou a ser combatido por mais de 200 operacionais. Entretanto o presidente da Câmara Municipal de Gondomar informou que dois bombeiros ficaram feridos, sendo que as pessoas que foram obrigadas a sair de casa já podem regressar.

"A situação está muito mais calma e os riscos praticamente eliminados", referiu Marco Martins, indicando que as vítimas foram transportadas para o Hospital de Santo António, no Porto.

O comandante dos bombeiros no local esclareceu que uma das vítimas foi levada por ter sofrido um trauma decorrente de uma hérnia que se manifestou durante o combate ao fogo. Quanto ao outro bombeiro, disse Rui Tavares, sofreu uma doença súbita com uma "crise convulsiva". Ambos os feridos são considerados leves.

O responsável informou que o incêndio se encontra "dominado", sendo que os bombeiros ainda vão permanecer no local por várias horas. "É um trabalho moroso, tem de se progredir lentamente, com muita segurança", explicou, falando nos riscos causados pelos danos provocados na estrutura.

O alerta foi dado pelas 17:40 e, segundo testemunhas, o incêndio decorre na Sociedade Portuense de Drogas, na Rua da Cavada.

Marco Martins revelou que o incêndio na fábrica de produtos químicos chegou mesmo a obrigar à evacuação de 15 habitações num perímetro de cinco quilómetros.

"Podia ter sido aqui um grande susto se não fosse a intervenção musculada desde o início", acrescentou, dizendo mesmo que se evitou uma "grande tragédia" ao ter-se conseguido que o fogo não atingisse a zona dos silos, o que provocaria uma explosão que se podia propagar por várias centenas de metros.

Segundo o autarca, a fábrica chegou a estar tomada pelas chamas, sendo que a situação já está mais controlada.

O incêndio, que se iniciou cerca das 17:40, “já tomou todo o espaço da fábrica” no distrito do Porto e o esforço dos bombeiros centram-se agora em evitar que as chamas “atinjam os silos de combustível”, indicou.

“Foi mandado evacuar todas as casas num perímetro de cinco quilómetros porque há o perigo do incêndio chegar aos silos, que pensamos conter glicerina e pode haver explosões”, relatou o adjunto do comando dos Bombeiros de Valbom, que acrescentou ter sido “pedido o reforço de meios”.

País

Mais País

Patrocinados