"Estaria morto se não fosse o meu cão". Cão herói salva dono de incêndio

12 mai 2023, 15:41
Charlie (Facebook Departamento de Bombeiros de Clovis)

Charlie começou a latir para acordar o dono e não parou até ele avistar o incêndio que começou numa caravana, estacionada perto do bairro, nos EUA, onde a família vive

Charlie, um Labradoodle  australiano de 2 anos salvou o seu dono, Chad McCollum de um incêndio de grande intensidade no bairro de Clovis, Estados Unidos, a 28 de abril. Ao perceber o fogo, o cão começou a ladrar incessantemente. O dono e a mulher estavam a dormir profundamente e acordaram com o som incaracterístico. Chad decidiu levar Charlie até ao quintal para o acalmar, mas os seus latidos tornaram-se cada vez mais altos e  persistentes até o dono finalmente se aperceber do fumo e das chamas.

"Fui até ao canto do quintal onde ele estava a ladrar e vi uma nuvem de fumo no céu e uma espécie de brilho cor-de-laranja", recordou Chad, citado no The Washington Post.

Logo depois, levou o cão para dentro de casa e correu até ao local, onde avistou o incêndio. Uma caravana estava a arder e as chamas começavam a alastrar-se para o exterior de duas casas vizinhas.

Chad ligou para o 112 e depois bateu nas portas da frente das duas casas, para que os moradores acordassem. Passados poucos minutos, as famílias saíram para o exterior e as equipas de emergência chegaram.

Quando os vizinhos tentaram agradecer-lhe por os ter ajudado, Chad respondeu que estaria morto se não fosse Charlie. 

"Eu não teria acordado. Não há hipótese", disse ele. "Ele alertou-nos para o perigo e isso fez a diferença."

Para comemorar o ato heróico de Charlie, o Corpo de Bombeiros de Clovis homenageou-o com a sua própria medalha e um capacete de bombeiro."O incidente é um excelente lembrete de que os cães são fantásticos", escreveram os bombeiros numa publicação no Facebook.

Após uma investigação, as autoridades prenderam um homem de 47 anos que alegadamente atirou vários explosivos para a caravana. Foi acusado de vários crimes, incluindo fogo posto, ameaça a crianças, perseguição e posse de um dispositivo destrutivo.

Os cães podem, de facto, detetar o fogo  devido ao seu apurado faro e ouvido. No mês passado, uma cadela salvou o dono de um incêndio num prédio na Avenida de Roma, em Alvalade, mas acabou por morreu vítima de uma paragem cardiorrespiratória.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados