Croácia
14:00
0 - 0
Albânia

Incêndio na Avenida da Liberdade em Lisboa "ainda vai demorar" a ser extinto

Agência Lusa , BCE
7 jun, 18:47

Os bombeiros vão acompanhar a situação ao longo da noite desta sexta-feira. As autoridades desconhecem o que originou este incêndio.

O incêndio que deflagrou esta manhã num hotel em construção na Avenida da Liberdade, em Lisboa, estava às 17:00 circunscrito, mas ainda sem previsão de extinção, devendo-se prolongar os trabalhos durante noite, indicou fonte da proteção civil.

“Neste momento estamos com uma abordagem de varrimentos nos pisos superiores para ver se depois podemos ter uma abordagem mais ofensiva e podemos extinguir o incêndio”, explicou aos jornalistas, perto das 17:00, o primeiro comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, Alexandre Rodrigues.

O responsável referiu que, naquele momento, o incêndio, que não causou quaisquer ferimentos, estava circunscrito, mas que não existia previsão para a sua extinção.

“Ainda vai demorar. Ainda vamos ter de desforrar a estrutura, verificar onde estão os pontos quentes e pequenos focos de incêndio. Depois de dar o incêndio como extinto vamos ter de acompanhar, durante a noite, se existe alguma evolução”, apontou.

O alerta para este incêndio, num hotel em construção na Avenida da Liberdade, foi dado às 09:32.

Às 10:40, o Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa tinha dado o incêndio como circunscrito, mas, entretanto, “houve um agravamento e o fogo propagou-se à cobertura”, explicou a mesma fonte.

Pelas 17:00, o incêndio era combatido pelos operacionais através do exterior do edifício, uma vez que, segundo explicou Alexandre Rodrigues, a estrutura está frágil e “é perigoso ter operacionais no interior”, tendo-se também verificado um colapso parcial no segundo piso.

“Estamos a ter alguns pontos quentes nos pisos inferiores. É muito difícil saber identificar onde é que o incêndio está”, apontou.

As autoridades desconhecem ainda o que originou este incêndio.

Numa nota enviada à agência Lusa, fonte do hotel que está em construção no edifício, e que deveria abrir portas durante este verão, confirmou que “não houve feridos ou quaisquer danos pessoais”.

A mesma fonte adiantou ainda que já solicitou à empresa construtora a “informação completa e detalhada sobre as causas que originaram este incêndio”.

Pelas 18:00 permaneciam no local 61 operacionais, apoiados por 19 viaturas.

No local estão, além dos bombeiros, a PSP e a Polícia Municipal.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados