Idade da reforma desce para 66 anos e 4 meses em 2023

Agência Lusa , JGR
29 nov 2021, 14:40
Idosos
Idosos

O corte está a associado à queda da esperança média de vida

PUB

A idade da reforma deverá recuar para 66 anos e quatro meses em 2023 e o fator de sustentabilidade aplicado às pensões antecipadas cairá para 14,06% em 2022, segundo cálculos com base em dados do INE.

Os cálculos feitos pela Lusa basearam-se nos dados provisórios do Instituto Nacional de Estatística (INE) conhecidos esta segunda-feira sobre a esperança média de vida aos 65 anos, que caiu quatro meses, para 19,35 anos, no triénio de 2019 a 2021, devido à mortalidade associada à pandemia de covid-19.

PUB

A idade legal da reforma está a subir há vários anos, associada à esperança média de vida (que tem aumentado), sendo este ano de 66 anos e seis meses. No próximo ano será de 66 anos e sete meses, mas, em 2023, deverá então recuar para 66 anos e quatro meses.

Por sua vez, o fator de sustentabilidade, que é um corte aplicado a algumas pensões antecipadas, também associado à esperança média de vida, deverá reduzir-se dos atuais 15,5% para 14,06% em 2022.

Nos últimos anos, o fator de sustentabilidade deixou de ser aplicado em algumas situações, como é o caso das pessoas que se reformam por antecipação à idade legal, mas com longas carreiras contributivas.

PUB
PUB
PUB

Além do fator de sustentabilidade, as reformas antecipadas estão ainda sujeitas a cortes de 0,5% por cada mês de antecipação face à idade legal de reforma ou face à idade pessoal.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Dinheiro

Mais Dinheiro

Patrocinados