Presidente da República destaca estreia do cinema português "numa cerimónia vista pelo mundo inteiro"

Agência Lusa , BC
13 mar 2023, 08:14
O realizador João Gonzalez e o produtor Bruno Caetano chegam ao Dolby Theatre (EPA)

Curta-metragem portuguesa "Ice Merchants" chegou a Hollywood com dezenas de troféus mas não ganhou estatueta dourada. Marcelo elogia "determinação e talento do cinema de animação" em Portugal

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, destacou a estreia do cinema português na cerimónia dos Óscares, através da nomeação de “Ice Merchants”, de João Gonzalez, para Melhor Curta-Metragem de Animação.

“O muito premiado cinema de animação português, e através dele todo o nosso cinema, esteve pela primeira vez representado numa cerimónia vista pelo mundo inteiro”, sublinhou o chefe de Estado.

“Ice Merchants” foi o primeiro filme português nomeado para os prémios da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas dos Estados Unidos.

A curta-metragem chegou a Hollywood com dezenas de troféus, entre os quais um recorde de nove distinções em festivais qualificantes para os Óscares, incluindo a Semana da Crítica do Festival de Cannes, sublinhou o Presidente.

Num comunicado divulgado pela Presidência da República, Rebelo de Sousa felicitou João Gonzalez, de 27 anos, “tão jovem e já com um traço, um tom e um universo próprios”.

O chefe de Estado deixou ainda “uma palavra de elogio à determinação e ao talento do cinema de animação em Portugal”.

O ministro da Cultura, Pedro Adão e Silva, numa mensagem publicada na rede social Twitter, disse que "hoje é um dia feliz para o cinema português, mesmo sem a estatueta, no regresso de Los Angeles.

 

"Parabéns ao João Gonzalez e à sua equipa que, com tenacidade, ambição e rasgo, criaram um filme comovente, que levará muitas pessoas a descobrir a capacidade singular do cinema de animação para tratar de temas complexos e adultos", escreveu Pedro Adão e Silva.

O ministro da Cultura entende que "entre os espetadores estão também jovens que serão levados a desenvolver as suas próprias potencialidades criativas, e é importante que saibam que a emigração não é para eles o único caminho".

"A festa hoje é do cinema português de animação no seu conjunto, uma área em que temos vindo a ter reconhecimento internacional crescente - e que agora, com 'Ice Merchants', chegará a um público muito mais alargado", concluiu Adão e Silva, garantindo que "os Óscares são um começo, não um fim".

O filme "The Boy, the Mole, the Fox, and the Horse", de Peter Baynton e Charlie Mackesy, conquistou esta noite o Óscar de Melhor Curta-Metragem de Animação, na 95.ª edição dos Óscares, no Dolby Theatre, em Los Angeles.

"Ice Merchants" estava nomeado nesta categoria com "The Flying Sailor", de Amanda Forbis e Wendy Tilby, "My Year of Dicks", de Sara Gunnarsdóttir, e "An Ostrich Told Me the World Is Fake, and I Think I Believe It", de Lachlan Pendragon.

“Ice Merchants”, o terceiro filme de Gonzalez, é sobre perda e laços familiares, entre um pai e um filho, e tem como ponto de partida a imagem de uma casa numa montanha, debruçada num precipício.

As duas personagens todos os dias produzem gelo na casa inóspita onde vivem, e de onde saltam diariamente de paraquedas para o vender na aldeia, no sopé da montanha.

Esta curta-metragem, contada sem narrador nem diálogos, apenas por imagens desenhadas e música, também da autoria de João Gonzalez, tem coprodução da portuguesa Cola Animation com Reino Unido e França, e foi feita com um orçamento de cerca de 100 mil euros.

Relacionados

Política

Mais Política

Mais Lidas

Patrocinados