Professor português detido em Hong Kong foi acusado do crime de sedição por "incitar à violência" nas redes sociais

Agência Lusa , BC
4 nov, 17:08
Operação policial contra o site de informação Stand News em Hong Kong (EPA/MIGUEL CANDELA)

Professor no Royal College of Music no Reino Unido, um português de 40 anos foi detido sem fiança. Autoridades de Hong Kong acusam-no de promover a violência nas redes sociais

Um cidadão português de 40 anos está detido por suspeitas do crime de sedição, por ter publicado conteúdos online que as autoridades de Hong Kong consideram “incitar à violência” ou “trazer ódio” ao território.

Segundo o jornal Hong Kong Free Express, o homem está detido e foi-lhe agora negada fiança por um juiz do tribunal do distrito de West Kowloon.

As autoridades de Hong Kong acusam o cidadão português de “trazer ódio e desprezo” e “estimular o descontentamento” contra o governo, promover a “desobediência” civil e “incitar à violência” através de publicações em redes sociais.

O suspeito, professor no Royal College of Music no Reino Unido, mantém o direito de pedir uma revisão da fiança em 11 de novembro, do caso que será julgado a 26 de janeiro do próximo ano.

Em resposta à Lusa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) português disse ter "conhecimento da detenção de um cidadão portador de passaporte português em Hong Kong".

"De momento, o MNE, através do consulado-geral de Portugal em Macau, está a diligenciar junto das autoridades de Hong Kong para apurar mais elementos sobre este caso, bem como informar em conformidade a família, da qual foi recebido contacto", referem as autoridades portuguesas.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados