Harvey Weinstein perde recurso para evitar condenação por violação e outros crimes sexuais

Agência Lusa , CE
3 jun, 00:54
Harvey Weinstein (AP Photo)

O ex-produtor de cinema, de 69 anos, foi considerado culpado num julgamento com júri por ato sexual criminoso em primeiro grau contra a assistente de produção Mimi Haley e violação em terceiro grau contra a aspirante a atriz Jéssica Mann

O ex-produtor de cinema Harvey Weinstein perdeu esta sexta-feira um recurso para anular a sua condenação por violação e outros crimes sexuais resultantes de um processo judicial em Nova Iorque, no início de 2020, tornando-se emblemático para o movimento #MeToo.

Um painel de cinco juízes da divisão de apelação do Supremo Tribunal do estado de Nova Iorque decidiu por unanimidade manter a sentença de 23 anos prisão de Weinstein, argumentando que o juiz James Burke estava errado e que havia erros no julgamento.

Weinstein, de 69 anos, foi considerado culpado num julgamento com júri por ato sexual criminoso em primeiro grau contra a assistente de produção Mimi Haley e violação em terceiro grau contra a aspirante a atriz Jéssica Mann, após o qual o juiz proferiu a sentença.

O antigo produtor recorreu da condenação e abril de 2021, considerou que não recebeu um “julgamento justo”, porque, entre outras coisas, várias mulheres que denunciaram alegados abusos foram autorizadas a testemunhar, apesar do processo não julgado essas acusações específicas.

Mas os juízes desembargadores, num resumo de 45 páginas publicado hoje e revisado pela agência de notícias EFE, decidiram “rejeitar os argumentos e reafirmar a sentença em todos os seus aspetos”, acrescentando que não veem motivo para “reduzir a pena” e consideram “inválidas” as alegações do réu.

O procurador distrital de Manhattan, Alvin Bragg, sucessor do de Weinstein, Cyrus Vance, disse hoje que o seu gabinete estava satisfeito por defender “uma condenação monumental que mudou a maneira como procuradores e tribunais abordam os processos complexos de predadores sexuais”.

No entanto, de acordo com a revista Variety, uma representante da produtora Juda Engelmeyer anunciou que a equipa jurídica de Weinstein está a considerar “todas as opções” e vai continuar a recorrer a uma instância superior, no Tribunal da Relação de Nova Iorque, que é o mais alto do estado.

O produtor de filmes como “Pulp Fiction” ou “A Paixão de Shakespeare”, preso de 2020, agora está preso em Los Angeles, aguardando outro julgamento por abuso sexual de mulheres no qual é acusado por 11 crimes.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Artes

Mais Artes

Patrocinados