Presidente do Equador pede demissão do governo após menos de um ano no poder

Agência Lusa , AM
29 abr, 06:35
Guillermo Lasso (Associated Press)

Pedido de demissão surge numa altura em que o país vive uma grave crise criminal

O presidente do Equador, Guillermo Lasso, pediu na quarta-feira ao governo que renuncie, menos de um ano após ter tomado posse, numa altura em que o país vive uma grave crise criminal.

O pedido de renúncia foi avançado pela Secretaria de Comunicação da Presidência, que acrescentou que Lasso pretende substituir os atuais titulares das pastas de Energia, Agricultura e Direitos Humanos.

Na terça-feira, o presidente equatoriano já havia nomeado Xavier Vera, antigo ministro da Energia, para substituir Juan Carlos Bermeo como ministro da Defesa.

O conservador Lasso irá completar o primeiro de quatro anos de mandato a 24 de maio.

Um ano marcado para uma guerra entre o governo e os traficantes de droga, que provocou um aumento na criminalidade e confrontos mortais entre grupos rivais, inclusive em prisões, onde 350 detidos morreram desde fevereiro de 2021.

O ministro do Interior, Patricio Carrillo, reconheceu na semana passada que o Equador estava a passar por uma crise criminal, que já matou 1.180 pessoas desde o início de 2022.

Em 2021, o Equador apreendeu um recorde de 210 toneladas de drogas, principalmente cocaína, e nos primeiros quatro meses do ano, as apreensões de drogas já atingiram 75 toneladas.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Mundo

Mais Mundo

Patrocinados